Dois negros e a recusa de um taxista: aconteceu com Emicida

Em relato no Facebook, rapper conta como o reconhecimento de seu trabalho não impede que sofra racismo. "Depois de ter tirado todas aquelas fotos, ter saído de uma entrevista, indo renovar o passaporte pra tocar na gringa outra vez, com a cara na capa...

972 0

Em relato no Facebook, rapper conta como o reconhecimento de seu trabalho não impede que sofra racismo. “Depois de ter tirado todas aquelas fotos, ter saído de uma entrevista, indo renovar o passaporte pra tocar na gringa outra vez, com a cara na capa da revista e tudo mais. Nada importa. O taxista não era fã de rap. No final, a gente era só dois pretinhos”, escreveu

Por Redação

Na última terça-feira (21), o rapper Emicida utilizou sua página no Facebook para expor caso de racismo do qual foi vítima, ao lado de um amigo também negro. Ele conta que, apesar de todo o reconhecimento dos fãs nas ruas, três taxistas se recusaram a transportá-los – chegaram a descer do veículo de um deles, que não queria levar “dois passageiros no banco de trás”

Depois de ter tirado todas aquelas fotos, ter saído de uma entrevista, indo renovar o passaporte pra tocar na gringa outra vez, com a cara na capa da revista e tudo mais. Nada importa. O Taxista não era fã de rap. No final, a gente era só dois pretinhos”, escreveu o artista.

Confira o relato da íntegra:

Rapidinho.Que cena foda aquela do filme do James Brown no final, onde ele foge da polícia e ao ser enquadrado, quando…

Posted by Emicida on Terça, 21 de julho de 2015



No artigo

x