Na contramão da mídia tradicional, Jô faz questão de tratar Thammy pelo gênero masculino

A atitude do apresentador em respeitar a transexualização do filho de Gretchen, com expressões como "querido" ou "você está um menino muito bonito", foi elogiada nas redes sociais e o assunto foi parar nos 'Trending Topics' do Twitter

1657 0

A atitude do apresentador em respeitar a transexualização do filho de Gretchen, com expressões como “querido” ou “você está um menino muito bonito”, foi elogiada nas redes sociais e o assunto foi parar nos ‘Trending Topics’ do Twitter

Por Redação

Depois de contrariar sua própria emissora ao defender a democracia e tecer elogios à presidenta Dilma Rousseff, o apresentador Jô Soares mais uma vez foi na contramão da mídia tradricional ao respeitar a identidade de  Thammy Miranda e tratá-lo pelo gênero masculino. O ator, filho da cantora Gretchen, passa por um processo de transexualização mas boa parte da imprensa insiste em se referir a ele como uma mulher.

“Não tem mais jeito [de tratar no feminino]. Você é um homenzinho. Já nasceu um homem”, afirmou o apresentador na entrevista com Thammy que foi ao ar na noite da última sexta-feira (24).

A sensibilidade de Jô com a causa foi tanta que, ao longo de toda a conversa, fez questão de utilizar expressões como “querido”, “você está um menino muito bonito” ou ainda “cara de moleque”. Não demorou muito para que o caso ganhasse as redes sociais. Inúmeros internautas começaram a tecer elogios à atitude do apresentador e a hashtag #ProgramaDoJo foi parar nos ‘Trending Topics’ do Twitter.

“No mais, o Jô segue provando que é menos careta que muito moleque por aí. Deu um banho tratando Thammy no gênero masculino”, postou um  internauta; “O cuidado de Jô ao tratar Thammy pelo gênero masculino é a coisa mais fofa que já vi na televisão ultimamente”, escreveu outro.

Filho da cantora Gretchen, Tammy, recentemente, fez a cirurgia para retirada de seios e vem fazendo tratamendo com base em hormônios masculinos. Ele contou que, por enquanto, tem paciência e que entende que talvez leve um período para as pessoas se acostumarem com seu gênero masculino.

“Primeiro me descobri homossexual e que queria me relacionar com mulher. Só que eu não me dava bem com meu corpo quando olhava no espelho, meu peito e minhas formas femininas me incomodavam. Parecia que eu olhava um travesti no espelho. Era estranho. Era um homem vendo uma imagem de uma mulher no espelho. Tirar meus seios foi como cortar um sexto dedo, algo que não pertencia ao meu corpo”, explicou.

Foto: Reprodução TV Globo



No artigo

x