Entidades da Brigada Militar do RS anunciam aquartelamento na 2ª feira e pedem que população fique em casa

Associação que representa servidores da Brigada deve protocolar um pedido de prisão do governador José Ivo Sartori pelo descumprimento de uma decisão judicial que impedia o governo gaúcho de parcelar os salários do funcionalismo

478 0

Associação que representa servidores da Brigada deve protocolar um pedido de prisão do governador José Ivo Sartori pelo descumprimento de uma decisão judicial que impedia o governo gaúcho de parcelar os salários do funcionalismo

Por Luís Eduardo Gomes, do Sul 21

A Associação Beneficente Antonio Mendes Filho (Abamf), que representa os servidores de nível médio da Brigada Militar, anunciou nesta sexta-feira (31) que, após uma reunião envolvendo nove entidades de servidores da corporação, foi convocado para segunda-feira o aquartelamento da polícia militar e do Corpo de Bombeiros. Além disso, o jurídico da entidade deve protocolar um pedido de prisão do governador José Ivo Sartori pelo descumprimento de uma decisão judicial que impedia o governo do Estado de parcelar os salários do funcionalismo.

“A recomendação é que os policiais só saiam para o atendimento de emergências e retornem para o quartel”, disse o secretário-geral da Abamf, Ricardo Agra.

Segundo ele, ainda não é possível calcular o percentual dos servidores da BM e dos Bombeiros que irão aderir ao aquartelamento na segunda, mas já existe a recomendação de que a população fique em casa nesse dia. “Vamos dar publicidade a isso a partir de agora. Estamos pedindo para a nossa sociedade que as pessoas não abram os seus estabelecimentos comerciais e que fiquem em casa para se resguardar”, complementou.

Em nota (acima) assinada pelas nove entidades que participaram da reunião, os servidores também recomendaram a população a ficar em casa na segunda-feira. “Orientamos a população do Rio Grande do Sul, que vê a criminalidade se alastrar diariamente, que não saiam de suas residências na 2ª Feira”, diz a nota.

Agra também afirmou que 100% da categoria foi afetada pelo parcelamento dos salários. Nesta sexta-feira, os servidores do Estado receberam seus vencimentos até o limite de R$ 2,150.

Em decorrência desse parcelamento, o jurídico da Abamf deve protocolar ainda hoje ou “no mais tardar na segunda-feira” ao Tribunal de Justiça um pedido de prisão do governador Sartori pelo governo ter descumprido a decisão judicial que exigia que os salários fossem pagos na íntegra.

Foto: Reprodução



No artigo

x