Na TV, programa do PT ironiza panelaços e pede que população evite crise política

"Com as panelas, vamos fazer o que a gente mais sabe: enchê-las de comida e de esperança. Esse é o panelaço que gostamos de fazer pelo Brasil", diz programa que irá ao ar na noite desta quinta-feira (6). Peça é apresentada pelo ator José...

773 0

“Com as panelas, vamos fazer o que a gente mais sabe: enchê-las de comida e de esperança. Esse é o panelaço que gostamos de fazer pelo Brasil”, diz programa que irá ao ar na noite desta quinta-feira (6). Peça é apresentada pelo ator José de Abreu e conta com a participação de Lula e Dilma Rousseff

Por Redação

Em programa televisivo que será veiculado em rede nacional na noite desta quinta-feira (6), o Partido dos Trabalhadores pede aos brasileiros que evitem que a crise econômica se transforme em política e ironiza os panelaços promovidos durante as falas de Dilma Rousseff na TV desde março.

A peça, apresentada pelo ator global José de Abreu, conta com a participação do presidente do partido, Rui Falcão, do ex-presidente Lula e da presidenta Dilma Rousseff. A narrativa, que se estende por dez minutos, foca em mostrar que o governo petista tem a capacidade de conduzir o país através do mau momento que enfrenta atualmente para retomar seu crescimento e desenvolvimento, como teria feito em outras ocasiões. Além disso, expõe os índices de investimentos aplicados em áreas estratégicas como infraestrutura, educação, saúde e moradia, reiterando que a gestão de Dilma tem trabalhado para recolocar o país nos trilhos e não está “perdida”, como prega a oposição.

Por falar em oposição, fotos de alguns de seus caciques – como os senadores Aécio Neves (PSDB-MG), Ronaldo Caiado (DEM-GO), José Agripino Maia (DEM-RN) e o deputado federal Paulinho da Força (SD-SP) – são reproduzidas duas vezes junto aos dizeres “Não se deixe enganar pelos que só pensam em si mesmos”.

O PT pede a união dos brasileiros, admitindo que há um crise econômica, mas alertando que, caso ela se converta em um cenário de intensa instabilidade política, “o sofrimento pode ser muito maior”. Exemplo utilizado para reforçar a tese é a ditadura militar, que durou 21 anos. “Hoje, há uma pessoa capaz de evitar uma grave crise política no país: você”, diz a gravação.

Lula e Dilma

“É mais fácil chegar ao porto seguro com quem já foi capaz de enfrentar a crise e fazer o país avançar na tormenta, sempre protegendo os que mais precisam”, declara Lula em seu depoimento. O ex-presidente explica, na gravação, que ele mesmo já implantou um ajuste fiscal no Brasil e que “depois o país ficou muito melhor”. “Essa não é a primeira crise que enfrentamos. Nosso pior momento ainda é melhor para o trabalhador do que o melhor momento dos governos passados”, assevera. E completa: “Problemas econômicos se corrigem com políticas corretas e corajosas, não com oportunismo”.

Já Dilma Rousseff reafirmou sua disposição em seguir com o segundo mandato. “Quem pensa que nos falta energia e ideias para vencer os problemas está enganado. Sei suportar pressões e até injustiças”, garante. “Sei que muita coisa precisa melhorar, tem muito brasileiro sofrendo, mas juntos vamos sair dessa (…) Este é o meu caminho, por ele seguirei.”

Panelaço

No minuto final do programa, o PT brincou com os panelaços realizados das varandas e janelas de prédios. “Nos últimos tempos, começaram a dar uma nova utilidade às panelas. A gente não tem nada contra isso. Só queremos lembrar que fomos o partido que mais encheu a panela dos brasileiros”, narra José de Abreu. “Se tem gente que se encheu de nós, paciência. Estamos dispostos a ouvir, corrigir, melhorar”, acrescenta. “Mas com as panelas, vamos fazer o que a gente mais sabe: enchê-las de comida e de esperança. Esse é o panelaço que gostamos de fazer pelo Brasil.”



No artigo

x