Chico Macena: Políticas para todos, mas com um olhar para quem mais precisa

De 2013 aos dias de hoje, nunca se discutiu tanto políticas públicas. São Paulo tem vivenciado uma ebulição de fatos que alteram o cotidiano da maior metrópole da América Latina. A cidade está sendo redesenhada e, com isso, valores e costumes estão sendo revistos.

570 0

De 2013 aos dias de hoje, nunca se discutiu tanto políticas públicas. São Paulo tem vivenciado uma ebulição de fatos que alteram o cotidiano da maior metrópole da América Latina. A cidade está sendo redesenhada e, com isso, valores e costumes estão sendo revistos

Por Chico Macena*

De 2013 aos dias de hoje, nunca se discutiu tanto políticas públicas. São Paulo tem vivenciado uma ebulição de fatos que alteram o cotidiano da maior metrópole da América Latina. A cidade está sendo redesenhada e, com isso, valores e costumes estão sendo revistos.

Faixas exclusivas e corredores de ônibus não são novidades. A inovação está na coragem de implantar 390 km de faixas exclusivas, no tempo e onde a população mais precisa.

O que podemos chamar de novidade é a implantação da estrutura cicloviária na cidade, promovendo o uso da bicicleta como transporte e não apenas como lazer. A criação dos parklets, dos food trucks, do wi-fi livre nas praças, a ampliação da coleta seletiva. Além de levar as melhores universidades públicas do país para os CEUs. Agora quem mora na periferia pode dizer que há uma universidade no bairro. Essas são só algumas ações para citar as políticas desenvolvidas nesta transformação da cidade.

São políticas que buscam atender a todos, que sempre vislumbraram e ainda desejam maiores oportunidades de acesso aos serviços públicos, aos bens que a cidade oferece que não são apenas materiais e a uma melhor qualidade de vida.

Quem, senão os 380 mil estudantes da rede pública, são os mais beneficiados com o Passe Livre? Quem são os que fazem mais de nove milhões de viagens por dia e usam o Bilhete Único, agora com o benefício da modalidade mensal? Quem são aqueles que, com as faixas exclusivas de ônibus, estão chegando mais cedo em casa? São os que mais precisam.

Todos podem usar as praças com wi-fi livre, sobretudo, aqueles que não têm dinheiro para pagar as operadoras do serviço privado. Os cidadãos se sentem iguais nas ciclovias, pois o custo da bicicleta é bem mais em conta do que o carro, e é moderno andar de bicicleta. O morador da periferia também pode ser cool. Hoje, as vans de food truck e as feiras gastronômicas ganharam os bairros da cidade.

O acesso às mais de mil atrações do Circuito São Paulo de Cultura foi distribuído em mais de 150 espaços, incluindo os CEUs, bibliotecas e Casas de Cultura, que ficam na periferia. Programa que tende a se intensificar e atingir cada vez mais os bairros.

Questões simples como a instalação de aparelhos de ginástica para idosos e jovens estimulam o cuidado com a saúde. E por que não dizer que as pessoas utilizam esses equipamentos para ter um corpo sarado? Esta é outra forma de enxergar a cidade, uma nova forma de governar São Paulo e que vem mudando o comportamento das pessoas.

Ter políticas públicas que abram a cidade para a apropriação vem combinado com uma administração para todos os territórios, principalmente para a periferia e foi isto que se procurou consolidar no Plano Diretor ao incentivar o desenvolvimento das regiões mais distantes, aproximar a moradia do local de trabalho e vice-versa.

A Prefeitura de São Paulo está presente em todas as regiões da cidade. Com o programa Prefeitura no Bairro, que conta com a presença do prefeito Fernando Haddad e de todos os secretários. Na ação, o poder público dialoga com a população, verifica os problemas e busca soluções.

Soluções como abrir equipamentos públicos, como os Clubes da Comunidade (CDC) e praças, com eventos organizados pela Secretaria Municipal de Igualdade Racial juntamente com os jovens da periferia, como alternativa aos “pancadões” e bailes funks, feitos de forma ilegal, entre muitos outros.

A prefeitura aos poucos vem mostrando que é possível, por meio de políticas públicas, ter alternativas. Não podemos perder com isto a dimensão e a urgência de melhorar os serviços públicos e de dotar de qualidade as áreas de educação e saúde, para as quais muito se tem feito e vamos poder demonstrar.

Lidar com as questões da cidade não é uma tarefa fácil e somente com a coragem que o prefeito Fernando Haddad tem demonstrado é possível construir um caminho rumo a uma São Paulo para todos, rompendo os muros entre o centro e a periferia, que seja inclusiva, diminuindo a desigualdade social, não dando espaço aos preconceitos e protegendo os que mais precisam.

Cada política, cada ação que perseguimos é no sentido de transformar São Paulo numa cidade moderna, mais humana, para todos, mas com um olhar para quem mais precisa.

*Chico Macena, 52 anos, é administrador e Secretário de Governo do Município de São Paulo

Foto: Prefeitura de São Paulo



No artigo

x