Argentina: 32 milhões votam nas primárias neste domingo; entenda como funciona a eleição

Será a primeira vez que adolescentes maiores de 16 anos poderão votar; fato foi elogiado pela Unicef, que lançou a campanha #YoElijoVotar

426 0

Será a primeira vez que adolescentes maiores de 16 anos poderão votar; fato foi elogiado pela Unicef, que lançou a campanha #YoElijoVotar

Por Opera Mundi

Mais de 32 milhões de argentinos votarão neste domingo (09/08) nas PASO (Primárias Abertas Simultâneas Obrigatórias), etapa inicial para definir quais serão os candidatos, de cada partido ou força política, que concorrerão nas eleições gerais. A ser realizado no dia 25 de outubro, o pleito definirá, entre outros cargos, quem sucederá a presidente Cristina Kirchner.

Criadas em 2009, as PASO são as primárias que antecedem as eleições nacionais. Assim, os candidatos de cada partido a presidente, governadores, prefeitos, vereadores, deputados estaduais e legisladores nacionais competirão entre si.

Como o nome sugere, a votação é obrigatória para todos os cidadãos nascidos ou naturalizados argentinos maiores de 18 anos. São abertas, porque todos, estando ou não filiados a um partido político, participam. E são simultâneas, já que ocorrem em uma mesma votação.

As PASO servem como um filtro para barrar partidos nanicos, já que é necessário obter mais de 1,5% dos votos válidos por categoria para poder disputar o pleito de outubro, quando os eleitores elegerão os aspirantes a presidente e vice-presidente do país, 43 parlamentares do Mercosul (Mercado Comum do Sul), 24 senadores e 130 deputados nacionais.

Após a realização e divulgação do resultado das primárias, tem início a campanha eleitoral (em 20 de setembro). Caso não seja definido o nome do novo presidente em 25 de outubro, o segundo turno será realizado em 24 de novembro. O novo governo assumirá em 10 de dezembro.

Para que o processo seja definido já em 25 de outubro, sem a realização de um segundo turno, é necessário que o candidato obtenha 45% da preferência dos eleitores ou 40% mais uma diferença de 10% em relação ao segundo colocado.

Voto jovem

O voto na Argentina é obrigatório para maiores de 18, mas pela primeira vez, adolescentes entre 16 e 17 anos também poderão votar, de forma facultativa. Para incentivá-los, a Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) realiza a campanha #YoElijoVotar (Eu Escolho Votar) para incentivar essa ação que, segundo a entidade, “consolida a participação na vida pública dos adolescentes”.

A Unicef ressaltou que a Argentina — juntamente com Brasil, Cuba, Equador e Nicarágua — está na vanguarda da região quanto à promoção dos direitos políticos dos jovens após a sanção, em novembro de 2012, da lei que permite que maiores de 16 exerçam o direito de eleger seus representantes.

Assim, quase 1 milhão de jovens argentinos, ou seja, 3% do universo de eleitores estarão habilitados para votar.

Foto de capa: Reprodução/ Snapwidget



No artigo

x