Insatisfação com Dilma não quer dizer apoio a impeachment, afirma presidente do Data Popular

Em entrevista ao El País, Renato Meirelles fez ainda uma avaliação otimista sobre o Brasil: Temos hoje uma população mais empoderada, mais escolarizada, que sabe seus direitos de cidadão, de consumidor. Escolaridade maior, que sonha em ter o filho da universidade”.

883 0

Em entrevista ao El País, Renato Meirelles fez ainda uma avaliação otimista sobre o Brasil: Temos hoje uma população mais empoderada, mais escolarizada, que sabe seus direitos de cidadão, de consumidor. Escolaridade maior, que sonha em ter o filho da universidade”

Por Redação

Em entrevista ao El País, o presidente do Instituto Data Popular, Renato Meirelles, afirmou que confundir a insatisfação com o governo da presidenta Dilma Rousseff com o apoio a sua derrubada seria um erro. A empresa representada por Meirelles tem como foco o comportamento da classe C e ajuda a revelar o que pensa a maioria desse grupo no atual momento político e econômico do Brasil.

“A decisão do futuro do país está na mão de uma briga de torcida e o brasileiro percebe isso. Não se pode colocar a estabilidade do país abaixo do interesse político. Ainda que as pessoas estejam insatisfeitas com o governo elas se perguntam qual é o real interesse de um impeachment. É um erro confundir quem está insatisfeito com o governo com apoio à saída da Dilma”, ressaltou o presidente do Instituto.

Meirelles disse ainda que vê o Brasil de uma forma otimista. “[O povo] transforma limão em limonada, não vai parar de comer o churrasco no domingo, o brasileiro quer sonhar. Ele sabe que esta não é a primeira nem a segunda crise que vai passar. Temos hoje uma população mais empoderada, mais escolarizada, que sabe seus direitos de cidadão, de consumidor. Escolaridade maior, sonha em ter o filho da universidade”, opinou.

Para ler a entrevista completa, clique aqui.



No artigo

x