Propaganda da Bombril será investigada por “debochar de homens”

Peça publicitária não foge ao padrão machista da publicidade brasileira, que coloca a mulher sempre como única responsável pelas tarefas domésticas. Ainda sim, clientes reclamaram que a campanha – estrelada por Ivete Sangalo, Dani Calabresa e Mônica Iozzi – "discrimina o gênero masculino"

1954 0

Peça publicitária não foge ao padrão machista da publicidade brasileira, que coloca a mulher sempre como única responsável pelas tarefas domésticas. Ainda assim, clientes reclamaram que a campanha – estrelada por Ivete Sangalo, Dani Calabresa e Mônica Iozzi – “discrimina o gênero masculino”

Por Redação

O Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) abriu, na última quarta-feira (12), processo para investigar propaganda da Bombril em que a cantora Ivete Sangalo e as humoristas Dani Calabresa e Monica Iozzi supostamente discriminam o gênero masculino. Embora o comercial seja, na verdade, machista, pois reafirma que as tarefas domésticas são responsabilidade exclusiva da mulher, consumidores reclamaram que ele “debocha da figura masculina”, fato que motivou a atitude do Conselho. As informações são da coluna da jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo.

Na peça publicitária, as protagonistas dizem que “toda brasileira é uma diva”. “Enquanto isso, os homens…”, contrapõe Dani Calabresa. “Ixe, esses daí nem com todos os produtos da Bombril para ajudar na casa”, afirma Ivete. Calabresa completa: “toda mulher é uma diva, e todo homem é ‘divagar’ [devagar]“. Foi esta fala em específico que motivou a reivindicações dos clientes.

De acordo com a Bombril, a campanha foi “desenvolvida para valorizar o protagonismo feminino” e o vídeo “usa uma linguagem bem-humorada para ressaltar o valor da mulher na sociedade brasileira e não tem a intenção de ofender os homens ao fazer uma brincadeira com a palavra ‘diva'”.



No artigo

x