Blog volta a publicar “guias de como estuprar mulheres”, dessa vez na USP e UFRGS

Página “Tio Astolfo” é investigada pelo Ministério Público Estadual (MPE) de São Paulo desde o fim de julho, quando divulgou guia de como estuprar alunas no campus da Unesp Araraquara. Ontem (14) voltou a publicar...

2012 0

Página “Tio Astolfo” é investigada pelo Ministério Público Estadual (MPE) de São Paulo desde o fim de julho, quando divulgou guia de como estuprar alunas no campus da Unesp Araraquara. Ontem (14) voltou a publicar textos criminosos

Por Redação*

estupro-fflch-tio-astolfo
(Reprodução)

O blog intitulado “Tio Astolfo” – investigado pelo Ministério Público Estadual (MPE) de São Paulo desde o fim de julho, quando divulgou um guia de como estuprar alunas no campus da Unesp Araraquara – atacou novamente. Ontem (14), a página voltou a fazer postagens em apologia à violência sexual e com ameaças e discurso de ódio a mulheres, homossexuais, negros e pessoas de esquerda.

O retorno foi marcado por um “passo a passo do estupro” na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, em São Paulo. Na manhã deste sábado (15), foi feito outro post semelhante, que ensina como abusar e agredir estudantes no Campus do Vale, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre.

Os novos textos incluem também ofensas à Ordem dos Advogados do Ceará (OAB-CE) – que na quinta-feira (13) apresentou notícia-crime contra o site –, a jornalistas e até ao blogueiro da Veja Reinaldo Azevedo, pelas críticas que fez à declaração do deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) de que não estupraria a colega Maria do Rosário (PT-RS) porque “ela não merece”.

O professor e diretor da FFLCH, Sérgio Adorno, denunciou mais uma vez o blog à Polícia. “[Após saber da publicação] entrei em contato com a Superintendência de Segurança e me dirigi ao 93º D.P. para registro da ocorrência. No retorno, comuniquei o fato, por ofício, ao Sr. Reitor com cópia para a Superintendência de Segurança. Estou ciente de que já foram e persistem sendo tomadas providências pela Administração Superior da Universidade para apuração rigorosa e responsabilização de seu ou seus responsáveis”, escreveu em nota. “Os fatos são extremamente graves. Ofendem a dignidade de todas as mulheres e também de todos os homens que compartilham valores fundamentais de respeito aos direitos humanos.”

O ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, também se manifestou sobre o caso. “Meu apoio às alunas da minha faculdade na USP, sordidamente atacadas por um site indecente, e ao diretor Sérgio Adorno, pelas medidas tomadas contra os difamadores delas”, comunicou em seu perfil no Facebook.

Segundo o portal G1, o conteúdo ofensivo da página é apurado ainda pela Polícia Federal do Mato Grosso, devido à publicação de mensagens que incentivavam a prática do crime de pedofilia. Apesar de todas as denúncias, “Tio Astolfo” segue no ar.

*Com informações da Folha de S. Paulo 



No artigo

x