Manifestante com cartaz sobre chacina de Osasco é “convidado a se retirar” da Paulista

“Hoje era para todo mundo estar de preto, em respeito às vidas que foram tiradas. Mas eu sei de uma coisa: aqui na Paulista não tem disparo acidental. Na periferia tem, todo dia. E...

1719 0

“Hoje era para todo mundo estar de preto, em respeito às vidas que foram tiradas. Mas eu sei de uma coisa: aqui na Paulista não tem disparo acidental. Na periferia tem, todo dia. E o que acontece com o policial que causou isso? Nada”, disse Julio César Mendes. Assista a seu depoimento

Por Redação

Os manifestantes que, neste domingo (16), foram à Avenida Paulista, em São Paulo, para protestar contra a corrupção confirmaram sofrer de indignação seletiva. Um rapaz que carregava cartaz relembrando as vítimas da chacina em Osasco diz ter sido “convidado a se retirar” do protesto.

“Vim aqui pacífico só lembrar da chacina em Osasco, que todo mundo quer esquecer. O povo me hostilizou”, afirmou Julio César Mendes ao Brasil de Fato. “Hoje era para todo mundo estar de preto, em respeito às vidas que foram tiradas. Mas eu sei de uma coisa: aqui na Paulista não tem disparo acidental. Na periferia tem, todo dia. E o que acontece com o policial que causou isso? Nada.”

Na noite da última quinta-feira (13), em um intervalo de três horas, 18 pessoas foram assassinadas e outras seis ficaram feridas em Osasco e Barueri, na região metropolitana de São Paulo. A Polícia Civil investiga o envolvimento de policiais militares nas execuções.

Confira no vídeo abaixo o relato de Julio César:

“Eu sei que aqui na Paulista não tem disparo acidental, na periferia tem todo dia”, afirma jovem que foi ‘convidado a se retirar da manifestação’ na capital paulista por relembrar dos mortos na chacina de Osasco na última semana.

Posted by Brasil de Fato on Domingo, 16 de agosto de 2015



No artigo

x