Globo abandona qualquer pudor: agora é Lula

Editorial, charge de Caruso e coluna de Merval Pereira na edição desta terça-feira (18) mostram que jornal da família Marinho passou a focar no ex-presidente como principal alvo

720 0

Editorial, charge de Caruso e coluna de Merval Pereira na edição desta terça-feira (18) mostram que jornal da família Marinho passou a focar no ex-presidente como principal alvo

Por Redação

Na esteira das manifestações de domingo (16), que tiveram o ex-presidente Lula como um dos principais alvos do sentimento antipetista, o jornal O Globo desta terça-feira aponta que o foco de parte da mídia tradicional a partir de agora será o líder do Partido dos Trabalhadores.

Artigo publicado pelo Brasil 247 chama a atenção para o fato de Lula ter sido atacado em três frentes do periódico. O editorial “O ajuste de foco nas manifestações” dá o mote. “A questão política ultrapassou a importância do confronto numérico entre passeatas. Muito mais que isso, chama atenção que a terceira manifestação contra o governo e PT tenha ajustado o foco. Além de Dilma e do partido, o ex-presidente Lula entrou na zona de tiro dos protestos, tudo indica como reflexo do fato de ele começar a ser citado na esteira das investigações da Operação Lava-Jato e suas inúmeras etapas — as quais, pelo jeito, ainda não se esgotaram.”

E segue o texto, colocando em dúvida os pagamentos de palestras de Lula. “É como se o ex-presidente fosse retirado do altar de ‘líder popular’, do qual pôde observar de altura segura todo o desenrolar do escândalo do mensalão, até o julgamento e a condenação de petistas ilustres e próximos a ele. Isso mudou com a Lava-Jato e as evidências de sua extrema proximidade de empreiteiras envolvidas no petrolão, junto às quais abiscoitou alguns milhões em alegadas palestras”.

Em sua coluna, Merval Pereira, crítico habitual do petismo, segue a mesma linha e celebra o boneco do ex-presidente com roupa de prisioneiro exibido na manifestação de Brasília (sua elaboração custou R$ 12 mil). “O boneco inflável do ex-presidente como presidiário que surgiu em Brasília, e que hoje está em todos os lugares do mundo graças à criatividade liberada pela internet, marca o fim de uma era, quebra um mito, faz a ligação direta entre a corrupção e o chefe do grupo, responsável, na visão popular, pelos esquemas corruptos, e por ter colocado Dilma no Planalto.”

Além dos dois textos, a charge de Chico Caruso, que já havia feito outra peça sugerindo a prisão de Lula, faz menção também a delações premiadas que levariam ao ex-presidente. Sempre com base em ilações.

Leia também:

Boneco do Lula, Globo, FHC, Serra e tudo o que você precisa saber sobre ressaca

 



No artigo

x