Beth Carvalho repudia uso de sua música em ato de domingo: “Minha voz e meu samba não os representam”

"Tal movimento está em dissonância absoluta tanto com os meus posicionamentos políticos, como com o que esta música representa historicamente. Não poderia ser usada em hipótese alguma", escreveu a cantora em nota, sobre a canção "Vou festejar"

1036 0

“Tal movimento está em dissonância absoluta tanto com os meus posicionamentos políticos, como com o que esta música representa historicamente.  Não poderia ser usada em hipótese alguma”, escreveu a cantora em nota, sobre a canção “Vou festejar”

Por Conceição Lemes, do Viomundo

A cantora Beth Carvalho é filha de João Francisco Leal de Carvalho (cassado em 1964 pela ditadura militar) e Maria Nair Santos Leal de Carvalho.

Verdadeiramente progressista, Beth, a vida inteira, se alinhou com os movimentos sociais e políticos de esquerda. Sempre se posicionou ao lado de líderes como Che Guevara, Fidel Castro, Hugo Chavez, Leonel Brizola, João Pedro Stedile. Votou em Lula, em Dilma.

Pois no último domingo ela teve uma grande surpresa. O movimento de direita Vem Pra Rua usou no seu carro de som na manifestação, no Rio de Janeiro, a música Vou Festejar, gravada com a voz de Beth Carvalho.

“A Beth está aqui ao meu lado, indignadíssima”, me disse há pouco por e-mail o jornalista Beto Almeida, conselheiro da Telesur. “Ela mesma escreveu esta nota [abaixo] e me autorizou a divulgar.”

Esclarecimento de Beth Carvalho sobre o uso indevido da música Vou Festejar, com sua interpretação, na manifestação conservadora no Rio, dia 16 de agosto.

Gostaria de saber de quem foi a INFELIZ ideia de colocar a música “Vou Festejar” (de Jorge Aragão, Neoci Dias e Dida), gravada com a minha voz, em um carro de som da passeata do dia 16/08 organizada pelo movimento #Vem Pra Rua?

Tal movimento está em dissonância absoluta tanto com os meus posicionamentos políticos, como com o que esta música representa historicamente.  Não poderia ser usada em hipótese alguma.

Para que fique bem claro, eu, Beth Carvalho sempre me posicionei ao lado de líderes como Che Guevara, Fidel Castro, Hugo Chavez, Leonel Brizola, João Pedro Stédile. Inclusive, a música “Vou Festejar”, gravada primeiramente em 1978, sempre representou movimentos de esquerda e de abertura política como as Diretas Já e o segundo turno de Lula contra o Collor em 1989.

Para completar a dissonância, os maiores mestres culturais da minha vida são em sua maioria negros e pobres – Nelson Cavaquinho, Cartola, Candeia. E não tolero a homofobia que vem sendo explicitada nestas passeatas.

Desta forma gostaria de manifestar meu absoluto REPÚDIO e insatisfação.

Acho que o uso de “Vou Festejar” é inclusive uma evidência clara da total despolitização ou intenção de despolitizar do movimento #Vem Pra Rua. Minha voz e meu samba não os representam nem hoje, nem ontem, nem nunca. Tomarei as providências cabíveis e exijo uma retratação pública.



No artigo

x