Mujica: “Temos que lutar para melhorar a democracia, não para sepultá-la”

"Aventura com o uniforme dos milicos, por favor! Golpe de Estado, por favor! Este filme já vimos muitas vezes na América Latina. Esta democracia não é perfeita, porque nós não somos perfeitos. Mas temos que defendê-la", discursou o ex-presidente do Uruguai ontem (27) em...

1065 0

“Aventura com o uniforme dos milicos, por favor! Golpe de Estado, por favor! Este filme já vimos muitas vezes na América Latina. Esta democracia não é perfeita, porque nós não somos perfeitos. Mas temos que defendê-la”, discursou o ex-presidente do Uruguai ontem (27) em uma palestra na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj)

Por Redação*

O ex-presidente do Uruguai e atual senador, José Pepe Mujica, participou ontem (27) de uma palestra na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e defendeu a democracia contra qualquer tentativa de golpe no continente. A presença do político foi festejada pela plateia, formada, em sua maioria, por jovens.

“Tenho dificuldade para entender, no momento, o que se passa aqui, porque não me corresponde. Porém, se tenho que ser claro, aventura com o uniforme dos milicos, por favor! Golpe de Estado, por favor! Este filme já vimos muitas vezes na América Latina. Esta democracia não é perfeita, porque nós não somos perfeitos. Mas temos que defendê-la para melhorá-la, não para sepultá-la”, disse Mujica. “Não vai ter golpe!”, gritou diversas vezes o público em apoio à fala do uruguaio.

“Meus queridos, ninguém é melhor do que ninguém. Tenho que agradecer a sua juventude pelas recordações de tantos e tantos estudantes que foram caindo pelos caminhos de nossa América Latina. Vocês têm que seguir levantando a bandeira. Na vida temos que defender a liberdade. E ela não se vende, se conquista. Fazendo algo pelos outros. Isto se chama solidariedade. E sem solidariedade não há civilização”, discursou.

Mujica falou ainda sobre a questão da liberação do consumo de maconha no Uruguai, com base em lei aprovada em seu governo, que, segundo ele, foi motivada pelo enfrentamento ao narcotráfico. “Se queremos mudar algo, não podemos fazer do mesmo”, ressaltou. A vinda do ex-presidente uruguaio ao Brasil foi patrocinada pela Federação das Câmaras de Comércio e Indústria da América do Sul (Federasur), que o homenageou em evento realizado na última quinta-feira.


* Com informações da Agência Brasil

Foto de capa: Filipe Peçanha



No artigo

x