Papa apoia livro infantil que retrata casais de animais gays

Piccolo Uovo foi banido das escolas públicas de Veneza por ser considerado "nocivo à família"; pontífice enviou carta à autora, Francesca Pardi, agradecendo-na pela obra

533 0

Piccolo Uovo foi banido das escolas públicas de Veneza por ser considerado “nocivo à família”; pontífice enviou carta à autora, Francesca Pardi, agradecendo-na pela obra

Por Redação*

piccolo-uovo
(Divulgação)

O livro infantil Piccolo Uovo (“Pequeno ovo”, na tradução para o português) causou grande polêmica na Itália por trazer representações de casais animais homoafetivos. Em junho, foi banido das bibliotecas de Veneza pelo prefeito Luigi Brugnaro, que o classificou como “nocivo à família”. A publicação, entretanto, recebeu um apoio de peso: o Papa Francisco.

Em 9 de julho, o pontífice enviou uma carta à autora, Francesca Pardi, por meio da equipe do Vaticano. “Sua Santidade é grato pelo gesto cuidadoso e pelos sentimentos que o livro evoca, desejando sempre atitudes frutíferas em serviço das jovens gerações e na difusão de valores genuinamente humanos e cristãos”, diz o texto, ao qual The Guardian teve acesso.

De acordo com o jornal britânico, a atitude de Francisco foi uma resposta a um contato inicial de Pardi, que lhe enviou exemplares de Piccolo Uovo e relatos da ofensiva conservadora de que foi vítima por conta da obra.

No livro, o ovo encontra, durante sua jornada, casais de pinguins gays e de coelhas lésbicas com seus filhotes, além de configurações familiares de todos os tipos, como um pai hipopótamo solteiro, um casal interracial de cachorros e cangurus que adotaram ursos polares. A intenção de Pardi era combater a desigualdade e discriminação de gênero e orientação sexual desde a infância. A publicação foi uma das 49 banidas das escolas públicas de Veneza por Brugnaro.

*Com informações da Folha de S. Paulo



No artigo

x