Senegalês é chamado de “macaco” e atingido por banana no Paraná

O caso aconteceu na cidade de Londrina (PR), onde o rapaz trabalha vendendo bijuterias para ajudar a família, que permanece em seu país de origem. Logo após o episódio, vítima foi abordada por uma idosa que, indignada com o ocorrido, pediu-lhe desculpas. Assista ao...

1214 0

O caso aconteceu na cidade de Londrina (PR), onde o rapaz trabalha vendendo bijuterias para ajudar a família, que permanece em seu país de origem. Logo após o episódio, vítima foi abordada por uma idosa que, indignada com o ocorrido, pediu-lhe desculpas. Assista ao vídeo

Por Redação

Na manhã da última quarta-feira (9), o senegalês Ngale Ndiaye foi vítima de um ato de racismo e xenofobia no centro de Londrina (PR), onde trabalha como vendedor de bijuterias. Uma mulher, moradora da região, atirou nele uma banana, o chamou de “macaco”, “preto” e “ladrão”, o agrediu com um tapa e chutou seus produtos. As informações são do portal Bonde.

“Eu só dizia que não estava entendendo”, disse Ndiaye, que ainda não domina completamente o português. Testemunhas contam que a agressora só parou quando outros comerciantes e pessoas que passavam pelo local a contiveram. De acordo com o portal, a mulher sofre de esquizofrenia.

“Ganho dinheiro e mando para meus pais, minha mulher e meu filhos, que continuam no Senegal. Só estou aqui para trabalhar, só para isso”, relatou a vítima, que mora com mais outros três senegalenses em um pensionato. Logo após o episódio, Ndiaye foi abordado por uma idosa que lhe pediu desculpas pelo ocorrido. Confira no vídeo abaixo:



No artigo

x