Como governador de MG, Aécio usou 124 vezes aviões oficiais para ir ao Rio

Relatório mostra média de 1,4 viagem por mês do atual senador ao RJ e a outras cidades do estado como Búzios e Angra dos Reis. Assessoria do parlamentar diz que viagens ocorreram “em conformidade...

585 0

Relatório mostra média de 1,4 viagem por mês do atual senador ao RJ e a outras cidades do estado como Búzios e Angra dos Reis. Assessoria do parlamentar diz que viagens ocorreram “em conformidade com o estabelecido pelas normas”

Por Redação

O atual senador e ex-candidato à Presidência da República Aécio Neves (PSDB-MG) utilizou 124 vezes aviões oficiais no período de sete anos e três meses em que esteve no comando do governo de Minas Gerais para ir ao Rio de Janeiro. As informações são de um relatório produzido pelo governo de Fernando Pimentel (PT) ao qual o jornal Folha de S. Paulo teve acesso.

De acordo com o documento, a média de viagens do tucano foi de 1,4 por mês à capital fluminense e outras cidades do estado como Búzios e Angra dos Reis. No período entre 2008 e 2009, também aparecem seis passagens para Florianópolis, onde morava sua então namorada e atual esposa Letícia Weber. Constam ainda deslocamentos realizados às vésperas do Carnaval para São Paulo, Rio de Janeiro e Florianópolis.

O relatório, elaborado para atender a um requerimento de um deputado estadual tucano, é assinado pelo secretário da Casa Civil de Minas, Marco Antônio de Rezende Teixeira, que argumenta não encontrar justificativas para a realização das viagens. O custo total dos deslocamentos será informado à Assembleia Legislativa de Minas Gerais até outubro. Antonio Anastasia, sucessor de Aécio que governou MG de 2010 a 2014, fez em média sete viagens oficiais por ano ao RJ, enquanto o atual governador Fernando Pimentel foi uma vez ao estado desde janeiro.

Em nota, a assessoria do senador considera que o uso de aviões oficiais para fins particulares seguiu a lei. “As viagens realizadas pelo governador ocorreram com registros oficiais e em conformidade com o estabelecido pelas normas”, diz o texto. A assessoria informou ainda ter detectado 30 erros na lista.

Foto de capa: Edilson Rodrigues/ Agência Senado



No artigo

x