Com Simone de Beauvoir, Enem teve questão sobre feminismo

A inclusão do tema e da citação da filósofa francesa na prova chamou a atenção de internautas, estudantes e grupos feministas; citações de outros autores importantes, como Hobbes, Nietzsche, Weber e Paulo Freire também foram comentadas. Confira algumas dessas questões

5485 0

A inclusão do tema e da citação da filósofa francesa na prova chamou a atenção de internautas, estudantes e grupos feministas; citações de outros autores importantes, como Hobbes, Nietzsche, Weber e Paulo Freire também foram comentadas. Confira algumas dessas questões 

Por Redação 

Entre os assuntos mais comentados em relação à prova deste sábado (24) do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a questão sobre feminismo com uma citação de Simone de Beauvoir foi a que mais chamou atenção. Alunos, estudantes e militantes de grupos feministas reproduziram a pergunta com a citação “Não se nasce mulher, torna-se mulher” da filósofa francesa e comemoraram o fato de a questão de gênero ter sido trazida à luz em uma prova dessa dimensão.

“Feminismo resiste”, postou no Facebook a página “Empodere Duas Mulheres” com uma foto da questão. O post teve mais de 23 mil likes e mais de 8 mil compartilhamentos até agora.

“Essa é para você omi que passou o ano criticando o feminismo, chamando as feministas de “feminazis” e errou a questão do Enem”, ironizou a página “Feminismo Sem Demagogia”

Entre estudantes, professores e militantes, a citação de outros autores importantes, como Max Weber, Thomas Hobbes, Nietzsche e Paulo Freire também foi comemorada pelo fato de serem pensadores considerados “polêmicos”, que desafiam conceitos de senso comum e que, por vezes, “incomodam” os mais conservadores.

Confira algumas questões:

Questão 26

A natureza fez os homens tão iguais, quanto às faculdades do corpo e do espírito, que, embora por vezes se encontre um homem manifestamente mais forte de corpo, ou de espírito mais vivo do que outro, mesmo assim, quando se considera tudo isto em conjunto, a diferença entre um e outro homem não é suficientemente considerável para que um deles possa com base nela reclamar algum benefício a que outro não possa igualmente aspirar. HOBBES, T. Leviatã. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

Questão 34

A filosofia grega parece começar com uma ideia absurda, com a proposição: a água é a origem e a matriz de todas as coisas. Será mesmo necessário deter-nos nela e levá-la a sério? Sim, e por três razões: em primeiro lugar, porque essa proposição enuncia algo sobre a origem das coisas; em segundo lugar, porque o faz sem imagem e fabulação; e enfim, em terceiro lugar, porque nela, embora apenas em estado de crisálida, está contido o pensamento: Tudo é um. NIETZSCHE, F. Crítica moderna. In: Os pré-socráticos. São Paulo: Nova Cultural, 1999.

Questão 40

A crescente intelectualização e racionalização não indicam um conhecimento maior e geral das condições sob as quais vivemos. Significa a crença em que se quiséssemos, poderíamos ter esse conhecimento a qualquer momento. Não há forças misteriosas incalculáveis; podemos dominar todas as coisas pelo cálculo. WEBER, M. A ciência como vocação. In: GERTH, H.; MILLS, W. (org). Max Weber: ensaios da sociologia. Rio de Janeiro, Zahar, 1979 (adaptado).

Questão 42

Ninguém nasce mulher: torna-se mulher. Nenhum destino biológico, psíquico, econômico define a forma que a fêmea humana assume no seio da sociedade; é o conjunto da civilização que elabora esse produto intermediário entre o macho e o castrado que qualificam o feminino. BEAUVOIR, S. O segundo sexo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.

Leia também:

Bolsonaro, Feliciano e Constantino criticam questão sobre Beauvoir no Enem

O ENEM – Sobre a macheza, Simone de Beauvoir e questões negras

Transexuais reclamam de preconceito durante prova do Enem

Foto: Reprodução

 



No artigo

x