Cinco países concentram quase 80% das mortes por terrorismo no mundo

Relatório internacional aponta que o Boko Haram, na Nigéria, se tornou o grupo terrorista que mais mata no mundo. Só em 2014, foram 6.644 assassinatos atribuídos ao grupo, uma alta de 317% em comparação com...

959 0

Relatório internacional aponta que o Boko Haram, na Nigéria, se tornou o grupo terrorista que mais mata no mundo. Só em 2014, foram 6.644 assassinatos atribuídos ao grupo, uma alta de 317% em comparação com 2013

Por Redação*

Em 2014, 78% das mortes em decorrência de ataques terroristas no mundo foram cometidas em cinco países: Afeganistão, Iraque, Nigéria, Paquistão e Síria. As informações são do Global Terrorism Index (Índice do Terrorismo Global – ITG) 2015, elaborado pelo Instituto para a Economia e Paz (IEP) e divulgado na última terça-feira (17).

Segundo o relatório, embora continue “muito concentrado”, o terrorismo tem atingido novos lugares: o número de países com mais de 500 mortes passou de cinco em 2013 para onze em 2014, um aumento de 120%. Somália, Ucrânia, Iêmen, República Centro-Africana, Sudão do Sul e Camarões entraram para a lista.

O estudo aponta que o terrorismo vitimou uma quantidade de pessoas 80% maior em 2014 na comparação ao ano anterior – o aumento anual mais acentuado desde 2000. As mortes de civis também cresceram 172% entre os dois últimos anos analisados. Em 2014, os grupos extremistas Boko Haram, na Nigéria, e Estado Islâmico, no Iraque e na Síria, foram responsáveis por 51% dessas mortes em atos terroristas.

O Boko Haram se tornou o grupo terrorista que mais mata no mundo, após ter assassinado 6.644 pessoas em 2014, o que representa uma alta de 317% em comparação com 2013. O grupo nigeriano e o EI mataram juntos 12.717 indivíduos.

Além disso, o levantamento revela uma relação direta entre terrorismo e refugiados: dos onze países com mais de 500 mortes por atos terroristas em 2014, dez apresentavam os maiores níveis de refugiados e migração interna do mundo. “O trauma causado por ataques terroristas no Ocidente é visível, mas imagine o trauma que eles causam em todos estes países”, disse Steve Killelea, presidente do IEP, ao jornal britânico The Guardian.

Ainda de acordo com o relatório, ao menos quinze ataques terroristas em 2014 foram mais graves do que os realizados em Paris na última sexta-feira (13). Os dois piores são atribuídos ao EI, que na invasão a uma prisão na cidade iraquiana de Badush, matou cerca de 670 pessoas, e em ataque à comunidade yazidi em Sinjar, também no Iraque, assassinou outras 500.

*Com informações da Agência Brasil e Opera Mundi

(Foto: Network News Edlib ENN)



No artigo

x