Justiça quebra sigilo bancário e fiscal de Capez e de dois ex-assessores do governo Alckmin

Os três são acusados de participação no esquema de fraude na merenda escolar; grupo pode responder por corrupção ativa e passiva, tráfico de influência e organização criminosa.

1565 0

Os três são acusados de participação no esquema de fraude na merenda escolar; grupo pode responder por corrupção ativa e passiva, tráfico de influência e organização criminosa

Por Redação

O desembargador Sérgio Rui Fonseca, do Tribunal de Justiça, determinou a quebra de sigilo bancário e fiscal do presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, deputado Fernando Capez (PSDB). A mesma medida será aplicada para Luiz Roberto dos Santos, o Moita, ex-chefe de gabinete da Casa Civil, e Fernando Padula, ex-chefe de gabinete da secretaria da Educação do estado. Os três são acusados de participação no esquema de fraude na merenda fornecida a escolas.

As irregularidades foram descobertas com a Operação Alba Branca, que apurava a participação da cooperativa Coaf no pagamento de propina a agentes públicos e assessores de políticos para fornecimento de alimentos à merenda de instituições de ensino. Ao todo, Sérgio Rui Fonseca decretou a quebra do sigilo de 12 investigados, que podem responder por corrupção ativa e passiva, tráfico de influência e organização criminosa.

Foto de capa: Divulgação/Site Oficial



No artigo

x