Papa Francisco admite uso de contraceptivos em função do zika e critica Trump: “Não é cristão”

Para pontífice, prevenir a gravidez não é um "mal absoluto". Ele também teceu duras críticas ao pré-candidato à presidência dos EUA Donald Trump por sua posição em relação aos migrantes. "Uma pessoa que pensa apenas em construir muros em vez de erguer pontes, onde...

2301 0

Para pontífice, prevenir a gravidez não é um “mal absoluto”. Ele também teceu duras críticas ao pré-candidato à presidência dos EUA Donald Trump por sua posição em relação aos migrantes. “Uma pessoa que pensa apenas em construir muros em vez de erguer pontes, onde quer que sejam, não é cristã”

Por Redação

Em conversa com jornalistas realizada nesta quinta-feira (19), o papa Francisco admitiu o uso de preservativos para que as pessoas possam se prevenir em relação ao zika vírus. “No caso de evitar a gravidez, não é um mal absoluto. (…) No mal menor, estamos falando um conflito entre o quinto e o sexto mandamentos. O papa Paulo 6º permitiu que freiras na África usassem contracepção (para se prevenirem) caso fossem estupradas. Mas não confundam o mal de evitar a gravidez com o aborto”, disse.

O pontífice pediu ainda que haja um esforço dos cientistas no sentido de evitar que a epidemia amplie seu alcance. “Peço aos médicos que façam de tudo para descobrir as vacinas contra esses mosquitos. Que se trabalhe para isso”, exortou.

Na conversa, o líder católico ainda teceu duras críticas ao pré-candidato à presidência dos Estados Unidos pelo Partido Republicano Donald Trump. Perguntado sobre se um católico norte-americano deveria votar em um candidato como Trump, Francisco respondeu: “Deixo isso ao julgamento das pessoas” (…) E uma pessoa que pensa apenas em construir muros em vez de erguer pontes, onde quer que sejam, não é cristã. Não é a palavra de Deus. Não vou me envolver na questão de em quem as pessoas devem votar. A única coisa que posso dizer é que este homem não é cristão se ele falou coisas deste tipo”, afirmou, referindo-se ao usual discurso de Trump contra migrantes.

O bilionário norte-americano respondeu ao saber das críticas do pontífice. “Quando o Estado Islâmico atacar o Vaticano, que, como todo mundo sabe, é o principal troféu do grupo terrorista, prometo que o papa sonhará e rezará para que Donald Trump seja o presidente”, afirmou.

Foto de capa: Gabriel Andrés Trujillo Escobedo – Flickr



No artigo

x