Morre, aos 84 anos, o italiano Umberto Eco

Referência em estudos de comunicação, filósofo, escritor e autor de títulos como 'O nome da Rosa' e 'O Pêndulo de Foucault', Eco faleceu na note desta sexta-feira (19) em sua casa; relembre algumas de suas principais obras

1647 0

Referência em estudos de comunicação, filósofo, escritor e autor de títulos como ‘O nome da Rosa’ e ‘O Pêndulo de Foucault’, Eco faleceu na noite desta sexta-feira (19) em sua casa; relembre algumas de suas principais obras

Por Redação*

Faleceu na noite desta sexta-feira (19), aos 84 anos, o escritor italiano Umberto Eco, que também era filósofo e uma das maiores referências acadêmicas no estudo de comunicação e semiologia. O estudioso estava em sua casa, na Itália, e a informação de seu falecimento foi confirmada pela família.

Autor de títulos célebres como ‘O nome da Rosa’ e ‘O Pêndulo de Foucault’, Eco nasceu em 1932 na cidade de Alexandria e, contra os desejos do pai que cursasse direito, se formou pela Universidade de Turim em Filosofia e Literatura. Seu primeiro livro (não editado no Brasil), ‘Il Problema Estetico di San Tommaso’, foi lançado em 1956.

Umberto Eco também é autor de importantes obras e ensaios acadêmicos, como Apocalípticos e Integrados (1964), que se tornou referência na literatura de cursos de comunicação. Seu último livro, Número Zero, foi lançado em 2015. Eco, que lecionou entre outras, nas universidades norte-americanas de Yale e Harvard, assim como no Collège de France, é autor de uma vasta bibliografia teórico e é autor, entre outros, de O Signo, Os Limites da Interpretação, Kant e o Ornitorrinco, Seis Passeios no Bosque da Ficção e Como se Faz uma Tese em Ciências Humanas.

Desde 2008, Eco era professor emérito e presidente da Escola Superior de Estudos Humanísticos da Universidade de Bolonha. Em 2014, recebeu o título de Doutor Honoris Causa da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. A universidade brasileira foi a 40ª a conceder o título ao intelectual italiano e a primeira instituição do país.

Confira abaixo algumas das obras que mais marcaram a carreira de Umberto Eco:

O Pêndulo de Foucault

Publicado em 1988. Na história, redatores de uma editora de Milão, depois de lerem muitos manuscritos ocultistas, encontram indícios de um complô que teria surgido em 1312 e seguido até o fim do século 20.

Número Zero

Último romance do escritor, publicado em 2015. Narra a história de um grupo de redatores que decidem criar o jornal “Amanhã” com o objetivo não de informar, mas de prestar serviços duvidosos a seu editor, manipulando, chantageando e amedrontando adversários políticos na preparação de uma primeira edição que nunca é publicada.

O Nome da Rosa

Obra mais conhecida de Eco, lançada em 1980, conta a história do frei Guilherme de Baskerville, enviado para investigar o caso de um mosteiro franciscano italiano onde os religiosos estariam cometendo heresias. A trama se passa no ano de 1327.

Cemitério de Praga

Publicado em 2010, o livro reúne personagens históricos em uma narrativa em que judeus querem dominar o mundo e jesuítas conspiram contra maçons.

Apocalípticos e Integrados

Lançado pela primeira vez em 1965, é uma das principais obras de semiótica de Eco onde ele reúne uma série de ensaios a respeito da questão da cultura de massas na era tecnológica.

 

*Com informações da Agência Brasil



No artigo

x