Fraude na merenda: ex-assessor de Capez diz que foi procurado para combinar versão

Jéter Rodrigues, que trabalhou com o presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Fernando Capez (PSDB), afirmou que foi consultado para assumir um cheque de R$ 50 mil, referente ao contrato de uma cooperativa com a Secretaria da Educação para fornecimento de suco de...

1410 0

Jéter Rodrigues, que trabalhou com o presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Fernando Capez (PSDB), afirmou que foi consultado para assumir um cheque de R$ 50 mil, referente ao contrato de uma cooperativa com a Secretaria da Educação para fornecimento de suco de laranja

Por Redação

Jéter Rodrigues, ex-assessor do presidente da Assembleia Legislativa, Fernando Capez (PSDB), afirmou em entrevista publicada na Folha de S. Paulo nesta quinta-feira (7), que foi procurado para combinar sua versão do que seria dito em depoimento sobre o esquema de fraudes na merenda de escolas paulistas.

Ele contou que recebeu o pedido para assumir um cheque de Merivaldo dos Santos, outro ex-assessor de Capez, no valor de R$ 50 mil. A reunião foi feita com o próprio Merivaldo e com Alexandre Zakir, chefe de gabinete da presidência da Assembleia Legislativa.

De acordo com investigações da operação Alba Branca, o cheque em questão seria um pagamento relativo ao contrato da Coaf (Cooperativa Orgânica Agrária Familiar) com a Secretaria da Educação do governo Geraldo Alckmin (PSDB), para fornecimento de R$ 8,5 milhões em suco de laranja.

“Isso não faz sentido. Eu não tenho por que estar assumindo um negócio que eu não fiz”, afirmou Jéter, que disse estar preocupado com o rumo das investigações e, por isso, já teria solicitado à polícia para ouvi-lo logo. A assessoria de Capez negou ter havido o encontro.


Foto de capa: Assembleia Legislativa/Divulgação



No artigo

x