Glenn Greenwald: “Como jornalista, estou chocado com a mídia daqui”

Jornalista norte-americano critica o envolvimento de veículos como Globo, Veja e Estadão em ataques recorrentes ao governo: “Eles fingem ter imparcialidade, mas na realidade agem como a principal ferramenta de propaganda da oposição”.

954 0

Jornalista norte-americano critica o envolvimento de veículos como Globo, Veja e Estadão em ataques recorrentes ao governo: “Eles fingem ter imparcialidade, mas na realidade agem como a principal ferramenta de propaganda [da oposição]”

Por Redação

O jornalista norte-americano Glenn Greenwald, que ficou conhecido após ter sido escolhido por Edgar Snowden para revelar ao mundo a espionagem em massa do governo dos Estados Unidos, publicou ontem (11) uma longa entrevista com o ex-presidente Lula no site The Intercept. Durante a conversa, ele fez uma série de críticas à parcialidade da imprensa nas notícias que envolvem o governo federal.

“Quero discutir o papel da mídia brasileira incitando os protestos e pressionando a saída da Dilma. Como jornalista, não sou brasileiro, mas moro no Brasil há muito tempo, estou chocado com a mídia daqui. Como as Organizações Globo, Veja, Estadão, estão tão envolvidos no movimento contra o governo, defendendo os partidos da oposição”, disse.

“Eles fingem ter imparcialidade, mas na realidade agem como a principal ferramenta de propaganda. O controle das organizações da mídia, por poucas famílias muito ricas aqui no Brasil, é um perigo para a democracia?”, perguntou ao líder petista, que concordou com o jornalista e ressaltou que muitos meios de comunicação estimulam o ódio no país.

Essa não é a primeira vez que Greenwald manifesta sua opinião sobre o assunto. Em um artigo publicado em março, ele fez um alerta para que a cobertura internacional não repita o discurso das “fontes midiáticas homogeneizadas, anti-democráticas e mantidas por oligarquias no Brasil”, com o risco de reproduzir informações enviesadas e incompletas.

Foto de capa: Wikimedia



No artigo

x