Dilma: “preciso explicar o que os órgãos da grande imprensa relutam em falar: é golpe”

Presidenta diz que, apesar de alguns articulistas admitirem que não há base legal para o seu impeachment, os principais meios de comunicação do país preferem assumir uma posição favorável à cassação; ela também ironizou...

1602 1

Presidenta diz que, apesar de alguns articulistas admitirem que não há base legal para o seu impeachment, os principais meios de comunicação do país preferem assumir uma posição favorável à cassação; ela também ironizou informações publicadas sem autoria e atribuídas a “fontes do Palácio”: “O ex-presidente Lula dizia que tinha um anão debaixo dessa mesa cheio de opiniões que falava com todos os veículos. Acho que esse anão está vivo e continua a agir em algum ligar por aqui”

Da Redação

Em entrevista concedida a colunistas da imprensa tradicional, na manhã desta quarta-feira (13/04), a presidenta Dilma Rousseff (PT) afirmou que precisa explicar o que os órgãos da grande imprensa relutam em falar: é golpe. “Estou fazendo uma denúncia: tem um estado de golpe sendo conspirado no Brasil. Tanto aqueles que agem abertamente a favor, como os que agem ocultamente e os que se omitem: todos serão responsáveis. Não se pode supor que determinados atos políticos são feitos sem consequências”, afirmou.

Dilma destacou que apenas alguns articulistas admitem que o processo não tem a fundamentação necessária para ser aprovado. Ela voltou a apontar o vice-presidente Michel Temer e o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) como o chefe e o subchefe do golpe. “Um não age sem o outro. Mas nenhum de nós aqui sabe determinar ao certo qual deles é o chefe e qual é o subchefe”, brincou.

A presidenta classificou o relatório da comissão especial que será levado à votação no plenário da Câmara como uma “fraude” e afirmou que o texto tem momentos “estarrecedores”. “Querem me cassar por algo que outros presidentes já fizeram e que governadores e prefeitos também praticam. Esse ‘dois pesos duas medidas’ só evidencia que eles não encontraram nenhum outro motivo para me atacar”, afirmou.

Dilma também ironizou os veículos da imprensa tradicional ao criticar informações divulgadas como tendo partido de ministros ou de “fontes do Palácio”, sem citar o autor das declarações. “O ex-presidente Lula dizia que tinha um anão debaixo dessa mesa cheio de opiniões que falava com todos os veículos. Acho que esse anão está vivo e continua a agir em algum ligar por aqui”, concluiu.



No artigo

1 comment

  1. Valquíria Responder

    Fé , querida Presidente ! Você nunca estará só ! Isso é uma Promessa !


x