Marco Aurélio será relator de ação que pede unificação dos processos de impeachment contra Dilma e Temer

O deputado Reginaldo Lopes (PT-MG) entrou com o pedido no Supremo Tribunal Federal, com o argumento de que o vice assinou decretos das chamadas “pedaladas fiscais” e não pode haver “dois pesos e duas...

2176 0

O deputado Reginaldo Lopes (PT-MG) entrou com o pedido no Supremo Tribunal Federal, com o argumento de que o vice assinou decretos das chamadas “pedaladas fiscais” e não pode haver “dois pesos e duas medidas” na análise da situação de ambos; se uma liminar no mandado de segurança for concedida ainda hoje, votação pode ser suspensa e análise da cassação voltar para a comissão especial

Da Redação

O ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio será o relator da ação em que é pedida a unificação dos processos de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff (PT) e o vice Michel Temer (PMDB). Não há precisão de prazo para que ele se manifeste nos autos nem se isso pode afetar de alguma forma a votação deste domingo (17/04).

O mandado de segurança foi proposto pelo deputado federal Reginaldo Lopes (PT-MG). Ele argumenta que Temer assinou alguns dos decretos chamados de pedaladas fiscais, assim como a presidenta Dilma. Para Lopes, a unificação dos dois procedimentos é uma garantia de que não haverá “dois pesos e duas medidas” no julgamento pela Câmara e pelo Senado dos mesmos atos.

O parlamentar solicitou também a suspensão da votação do domingo sobre o impeachment da petista e o retorno do processo à fase da Comissão Especial. “Enquanto o impeachment de Michel Temer se arrasta a passos de tartaruga, o de Dilma Rousseff caminha a galopes de leopardo, e tem data para terminar, com sessões inclusive aos sábados e domingos!”, argumenta.

Com informações do Brasil 247 e do Jota



No artigo

x