Janaína Paschoal admite ter recebido R$ 45 mil do PSDB para elaborar pedido de impeachment

A advogada, autora do pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff aprovado na Câmara dos Deputados e em tramitação no Senado, confessou a senadores da comissão especial que foi contratada pelo PSDB, junto com...

18072 1

A advogada, autora do pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff aprovado na Câmara dos Deputados e em tramitação no Senado, confessou a senadores da comissão especial que foi contratada pelo PSDB, junto com o jurista Miguel Reale Júnior, para elaborar um parecer do impeachment. Partido, agora, tem a relatoria do processo no Senado

Por Redação

O PSDB teria construído o pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff e tem, agora, a relatoria do processo no Senado. O que antes era uma especulação divulgada por parte da mídia, foi agora confirmada por uma das autoras do pedido de impedimento cujo processo tramita no Senado, a advogada Janaína Paschoal.

Ouvida por senadores da comissão especial que analisarão o pedido nesta quinta-feira (28), a jurista admitiu ter recebido R$ 45 mil da legenda para, junto com Miguel Reale Júnior, elaborar um parecer sobre o afastamento da presidenta.

“Eu fui contratada pelo PSDB em maio. Nós propusemos o processo em setembro. Recebi R$ 45 mil para fazer o parecer”, disse, depois de ser confrontada pela senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB/AM). Antes, Paschoal afirmava que o pedido havia sido feito com base nas reivindicações de “cidadãos indignados”.

“Isso é muito grave! O PSDB contratou, fez o pedido e ainda está relatando o processo do golpe. Um jogo de carta marcada para retirar do poder uma presidente legitimamente eleita com mais de 54 milhões de votos”, escreveu a senadora comunista em sua página no Facebook.

Confira abaixo o vídeo do momento em que Janaína faz a revelação.



No artigo

1 comment

  1. Artur Vieira Responder

    Vc iria a uma assembleia do condomínio do seu prédio se 90% dos apartamentos fossem de 3% dos condôminos? Pois é! Ir lá fazer o que, né? Pois saiba que, segundo artigo sobre distribuição de renda no Brasil, de2007, de um economista patrício, de uma revista do Rotary Club do Brasil (Mundo Rotário), de empresários, existente em inúmeros países, está é a distribuição de renda no Brasil, pasme!
    Daí fica mais fácil compreender que tudo aqui tenha só um punhado de donos, inclusive a imprensa e com ela os votos da patuleia, avessa a política e crente em milagres. E que ainda não se tenha sequer cogitado em taxar as grandes fortunas nacionais como manda a nossa Constituição Federal.
    E quem manda no Congresso, como, aliás no país, é o mercado; inclusive nos nossos gostos e crenças, ideias e ideais.
    Infelizmente, agora sou até levado a crer que também no Judiciário; ainda não vi sequer um juiz recusar receber o indecente aumento de 78% dado a ele agora, como divulgado na mídia, sem justificativa plausível. Justamente a categoria mais bem remunerada no nosso serviço público e que tem a incumbência de bater o martelo no processo de impedimento da chefe de estado nacional, numa afronta aos mais básicos princípios de moralidade já vistos em qualquer país moderno. Um acinte à este povo, desde seus primórdios tratado como gado.