MBL se une a ruralistas e evangélicos para fortalecer agenda conservadora

Em reunião marcada para amanhã (3), serão debatidos os planos para influenciar votações no Congresso em torno da defesa de um Estado mínimo, de pautas conservadoras, da reforma trabalhista e do ajuste fiscal.

1866 0

Em reunião marcada para amanhã (3), serão debatidos os planos para influenciar votações no Congresso em torno da defesa de um Estado mínimo, de pautas conservadoras, da reforma trabalhista e do ajuste fiscal

Por Redação

O Movimento Brasil Livre (MBL), um dos principais grupos de oposição ao governo de Dilma Rousseff, resolveu se juntar a setores ligados às bancadas ruralista e evangélica na Câmara para discutir interesses afins.

A Confederação da Agricultura e Pecuária (CNA), que fez campanha para influenciar parlamentares na votação pró-impeachment, é um dos novos aliados do movimento, ao lado de representantes religiosos.

A reunião entre eles já está marcada para terça-feira (3), quando devem debater os planos para influenciar as votações no Congresso em torno da defesa de um Estado mínimo, de pautas conservadoras, da reforma trabalhista e do ajuste fiscal.

“Existe uma agenda que tem que ser adotada para o Brasil sair da crise e a gente vai ter que ser muito rígido”, alegou Renan Santos, um dos líderes do MBL, em entrevista à Folha de S. Paulo. “Se a gente não montar uma frente responsável com setores e parlamentares que estão percebendo a crise, vai tudo ao brejo”, completou.

Foto de capa: Divulgação



No artigo

x