Tereza Campello: Programa do PMDB exclui 36 milhões de pessoas do Bolsa Família

Cerca de 16 milhões de crianças e adolescentes com até 15 anos de idade deverão ficar sem o benefício, segundo a ministra, que criticou as propostas de Michel Temer para a área social. Em encontro com blogueiros realizado na manhã de hoje (4), ela...

1820 0

Cerca de 16 milhões de crianças e adolescentes com até 15 anos de idade deverão ficar sem o benefício, segundo a ministra, que criticou as propostas de Michel Temer para a área social. Em encontro com blogueiros realizado na manhã de hoje (4), ela alertou para a possível perda de direitos conquistados pelos mais pobres nos últimos anos

Por Maíra Streit

No encontro com blogueiros realizado na manhã desta quarta-feira (4), em Brasília, a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, criticou o documento intitulado ‘Travessia Social’, divulgado pelo PMDB com propostas para um eventual governo de Michel Temer. Na conversa com os jornalistas, ela destacou que a previsão é de que 36 milhões de pessoas poderão deixar de ser atendidas pelo programa Bolsa Família.

O cálculo foi feito a partir da ideia anunciada pelo PMDB de restringir os investimentos sociais aos 5% mais pobres da população, o que representaria cerca de 10,2 milhões de pessoas, em vez das 46,6 milhões atendidas atualmente. A margem que seria ignorada inclui 17 milhões de nordestinos e quase 16 milhões de crianças e adolescentes com até 15 anos de idade.

A ministra ressaltou os avanços que o Bolsa Família trouxe para o empoderamento feminino – já que a maior parte dos cartões tem as mulheres como titulares –, para o desenvolvimento do mercado interno, além da melhoria na saúde e no desempenho escolar dos jovens. Para ela, a imprensa tradicional tem ignorado as conquistas do governo de Dilma Rousseff e impedido que os brasileiros tenham acesso a essas informações.

Tereza Campello comentou ainda sobre o processo de impeachment em curso no país, que ela considera uma ameaça aos direitos adquiridos nos últimos anos pelos segmentos mais discriminados. “O golpe é contra os pobres, contra os gays, os negros e as mulheres”, enfatizou. Participaram da reunião representantes dos veículos O Cafezinho, Blog Maria Frô, Blog Lola Escreva Lola, Sul 21, Revista Fórum, Mídia Ninja e Jornalistas Livres.

Foto de capa: Antonio Cruz/ Agência Brasil



No artigo

x