Temer: trote com os argentinos, sinceridade com os EUA. Os textos do “Wikileaks”

Vocês conseguem imaginar o presidente do Partido Republicano  dos EUA indo se encontrar com um cônsul brasileiro nos EUA para discutir, detalhadamente, a situação eleitoral norte-americana, as posições de Donald Trump, de Hillary Clinton ou Bernie...

1333 0

Vocês conseguem imaginar o presidente do Partido Republicano  dos EUA indo se encontrar com um cônsul brasileiro nos EUA para discutir, detalhadamente, a situação eleitoral norte-americana, as posições de Donald Trump, de Hillary Clinton ou Bernie Sanders?

Por Fernando Brito, do Tijolaço

Vocês conseguem imaginar o presidente do Partido Republicano  dos EUA indo se encontrar com um cônsul brasileiro nos EUA para discutir, detalhadamente, a situação eleitoral norte-americana, as posições de Donald Trump, de Hillary Clinton ou Bernie Sanders?

Não?

Não sei como se escreveria em inglês “o senhor vá catar coquinho”, mas seria algo assim que lhe seria respondido, caso isso fosse solicitado por um diplomata brasileiro.

No entanto, na noite de ontem, o Weakleaks divulgou no Twitter dois telegramas onde são narradas as detalhadas e indiscretas confissões de Michel Temer sobre as eleições de 2006, sua intenção de ficar na “boca de espera” de um crescimento de Lula ou de Geraldo Alckmin e sua nenhuma objeção a uma fusão do seu partido com os tucanos.

O Tijolaço foi buscar os textos divulgados pelo Wikileaks (aqui e aqui) e apresenta abaixo, com um tradução do Google, à espera de surjam outras mais precisas.

Ficou bem claro que, se vier um trote em inglês de quem se diga Trump ou Clinton, nosso Michelzinho vai logo dizer, como ao argentino do trote de ontem: “please, convaide me, then I gone aí...”

Primeiro telegrama, resultado do encontro de 11 de janeiro de 2006 

NCLAS SEÇÃO 01 DO 03 SAO PAULO 000030 SIPDIS SENSÍVEL SIPDIS NSC PARA CRONIN estado de aprovado USTR PARA SULLIVAN / Lezny EO 12958: N TAGS / A: PINR, PGOV, ETRD, BR ASSUNTO: Opções eleitoral do PMDB pondera Partido Líder REF: (A) 05 São Paulo 1402; (B) São Paulo 1372 1. (U) Sensível mas não Classificada – proteger adequadamente. 2. (SBU) Resumo: deputado federal Michel Temer, presidente nacional do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), acredita que a desilusão pública com o presidente Lula e o Partido dos Trabalhadores (PT) fornece uma oportunidade para o PMDB em campo seu próprio candidato na eleição presidencial de 2006. No entanto, as divisões do partido e a falta de uma opção atraente como um candidato poderia forçar o PMDB em uma aliança com PT de Lula ou o PSDB oposição. Se os números de votação de Lula não melhorar antes das primárias do PMDB em março, Temer disse que seu partido pode nomear seu próprio candidato. Isto permitiria ainda o partido de forjar uma aliança com o PT ou PSDB em um segundo turno, assumindo que o candidato do PMDB deixa de fazer o segundo turno. Dada a sua orientação centrista, o PMDB pode manter o equilíbrio de votos entre as duas forças opostas. Também é provável que se mantenha uma força a nível local e estadual. Temer acredita que tem uma chance de ganhar até 14 corridas para governador. Resumo Final. ————————— Com aliados como esta. . . ————————— 3. (SBU) Michel Temer, deputado Federal de São Paulo que serviu como presidente da Câmara dos Deputados no período de 1997 a 2000, reuniu-se 09 de janeiro com CG e poloffs para discutir a situação política atual. A eleição de Lula, disse ele, tinha levantado uma grande esperança entre o povo brasileiro, mas seu desempenho no cargo tem sido decepcionante. Temer criticou a visão estreita de Lula e seu foco excessivo sobre os programas de rede de segurança social que não promovem o crescimento ou desenvolvimento econômico. O PT tinha feito campanha em um programa e, uma vez no cargo, tinha feito o oposto do que foi prometido, que Temer caracterizado como fraude eleitoral. Pior, alguns dirigentes do PT tinha roubado dinheiro do Estado, não para ganho pessoal, mas para expandir o poder do partido, e que, assim fomentou uma grande quantidade de desilusão popular. ————————- PMDB percebe um Abertura ——————— —- 4. (SBU) Essa realidade, Temer continuou, abre uma oportunidade para o PMDB. O partido detém actualmente nove statehouses e tem o segundo maior número de deputados federais (depois do PT), juntamente com um grande número de prefeituras e conselho da cidade e assentos legislativos estaduais. As pesquisas mostram que os eleitores estão cansados ​​de tanto o PT eo principal partido da oposição, o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Por exemplo, uma pesquisa recente mostrou ex-governador (e presidente do estado PMDB) Orestes Quércia líder na corrida para governador do estado de São Paulo. ———————– Divisões cão do Partido ———————– 5. (SBU) perguntou por que o PMDB continua tão dividido, Temer disse que as razões foram histórica e relacionados com a natureza dos partidos políticos brasileiros. O PMDB cresceu a partir do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) sob a ditadura militar, que funcionava como um grupo de guarda-chuva para a oposição legítima à ditadura militar. Após a restauração da democracia, alguns membros deixaram o PMDB para formar novos partidos (como o PT e PSDB), mas muitos dos que ficaram agora atuam como agentes do poder a nível local e regional. Assim, o PMDB não tem identidade nacional unificadora real, mas sim uma organização guarda-chuva para “caciques” regionais ou patrões. Temer observou que o PMDB não é o único partido dividido. Embora existam 28 partidos políticos no Brasil, a maioria deles não representam uma ideologia ou uma determinada linha de pensamento político que iria apoiar uma visão nacional. —————————- SAO PAULO 00000030 002 OF 003 PMDB Primaries Set para março ———– —————– 6. (SBU) Temer confirmou relatos da imprensa de que ele está a tentar mover a data primária 05 de março para uma data no final do mês. (Nota:.. 31 de março é o prazo para executivos e ministros a renunciar seus escritórios se eles pretendem concorrer a cargos públicos End Note) Haverá cerca de 20.000 eleitores, disse ele, incluindo todos os membros do PMDB que ocupam cargos eleitoral (federal e deputados estaduais, governadores, prefeitos, vice-governadores e -mayors e outros funcionários municipais eleitos), assim como delegados escolhidos em convenções estaduais. ————————————— Números de Lula irá conduzir Estratégia PMDB —– ———————————- 7. (SBU) Se, entre agora eo primário, o governo Lula em pé nas pesquisas melhora, ainda é possível que o PMDB vai buscar uma aliança eleitoral com Lula eo PT, disse Temer. Se não, o PMDB irá executar seu próprio candidato. Até agora, Rio de Janeiro ex-governador Anthony Garotinho tem vindo a trabalhar o mais difícil, chegando a todo o país em busca de apoio. Mas há uma resistência a ele de dentro do PMDB, em parte devido à sua imagem populista, em parte porque parece haver um limite para o seu apoio. Germano Rigotto, governador do Rio Grande do Sul (reftels) é um possível candidato, embora ele ainda não é bem conhecido fora do sul. Nelson Jobim, um juiz do Supremo Tribunal Federal (STF) que anunciou sua intenção de deixar o cargo, é outra possibilidade; no entanto, ele não pode fazer campanha até que ele deixa o Tribunal, e ele pode não ter tempo para atrair o apoio necessário para vencer a primária. ——————————————– Do PMDB Reserva – PT ou PSDB na segunda rodada ——————————————– 8. ( SBU) Temer estava confiante de que, apesar de sua divisão atual, o PMDB se unirão para a eleição, seja em apoio do seu próprio candidato ou em aliança com outro partido. Se ele é executado um candidato que deixar de fazê-lo para o segundo turno, o partido vai procurar negociar uma aliança com um dos dois finalistas. Ele observou que o PMDB tinha apoiado o governo do PSDB ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, e disse que deveria haver uma “re-fusão” das duas partes em uma grande aliança permanente. O PMDB não teria nenhum problema com qualquer prefeito de São Paulo, José Serra ou governador de São Paulo Geraldo Alckmin, que estão competindo para a nomeação PSDB. Em 2002, o PMDB apoiou Serra contra Lula. 9. (SBU) Questionado sobre o programa do partido, Temer indicou que o PMDB favorece políticas de apoio ao crescimento económico. Ele não tem qualquer objecção à Área de Livre Comércio das Américas (ALCA). Ele prefere ver Mercosul fortalecido, de modo a negociar Alca como um bloco, mas a tendência parece estar se movendo na direção oposta. —————————— Comentário: PMDB como o poder Broker? —————————— 10. (SBU) Por enquanto, o PMDB está mantendo suas opções em aberto. Embora Temer não mencionou isso, a liderança do partido está esperando para ver se o “verticalizacao” regra permanecerá em vigor para as eleições de 2006. Esta regra, decretado por decisão do Tribunal Supremo Eleitoral (TSE) 2002, determina que as alianças eleitorais a nível nacional deve ser replicado em corridas para governadores e deputados federais. O Senado aprovou uma medida que revoga a regra, ea câmara baixa deverá votar nele em breve, com perspectivas incertas. Há também um desafio legal ao pendente regra que o TSE provavelmente vai levar-se em fevereiro. O PMDB quer saber as regras do jogo antes de decidir sobre possíveis alianças, uma vez que a maioria dos observadores acredita que a SAO PAULO 00000030 003 OF 003 candidato presidencial PMDB não se sairia bem sob o actual sistema de “verticalizacao.” Temer apareceu aberto à possibilidade de uma aliança ou com o PT ou o PSDB, ou para um PMDB candidato independente. Dada a sua orientação centrista, o PMDB pode manter o equilíbrio de votos entre a PT de Lula eo PSDB oposição, e, portanto, ursos assistindo de perto nos próximos meses. End Comment. 11. (U) Nota biográfica: Michel Miguel Elias Temer Lulia serviu como deputado federal de São Paulo desde 1987, à exceção de um período de dois anos (1993-1994), quando ele era secretário de Segurança Pública do governo do Estado de São Paulo. Ele estudou na Universidade de São Paulo e obteve um doutorado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. De 1984 a 1986 ele foi Procurador-Geral do Estado. Serviu como o líder do PMDB na Câmara de Deputados 1995-1997 e como Presidente da Camara de 1997-2000. Foi presidente nacional do PMDB 2001-03 e 2004- presente. 12. (U) Este cabo foi cancelado / coordenada com Embaixada Brasília. McMullen
Segundo telegrama, descrevendo o encontro de 21 de junho de 2006
UNCLAS SECÇÃO 01 DE 04 SÃO PAULO 000.689 SIPDIS SENSÍVEL SIPDIS estado de aprovado USTR PARA MSULLIVAN estado de aprovado EXIMBANK estado de aprovado OPIC PARA MORONESE, RIVERA, MERVENNE NSC for Fears USDOC PARA 4332 / ITA / MAC / WH / OLAC / JANDERSEN / ADRISCOLL / MWAR D USDOC PARA 3134 / USFCS / OIO / WH / SHUPKA Tesouro para Oasia, DAS Lee e DDOUGLASS DOL PARA ILAB MMITTELHAUSER SOUTHCOM TAMBÉM PARA Polad USAID / W PARA EO 12958 LAC / AA: N TAGS / A: PGOV, PINR, ECON, BR ASSUNTO: PMDB CHEFE AFIRMA POSIÇÃO DO PARTIDO DA AS BROKER poder, mas hesita em prever REF corrida presidencial: (A) SAO PAULO 676; (B) BRASILIA 1194; (C) SAO PAULO 623; (D) BRASILIA 1136; (E) SAO PAULO 573 e anterior; (F) SAO PAULO 30 sensível, mas UNCLASSIFIED – PROTEGE POR FAVOR DESSA FORMA ——- ——- RESUMO 1. (SBU) Michel Temer, presidente do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), acredita que o presidente Lula tem feito um trabalho magistral de dissociar-se dos escândalos políticos que têm esmagado alguns de seus conselheiros mais próximos. Ele também tem efetivamente expandiu programas sociais para ganhar a lealdade e apoio das classes média-baixa e inferior do Brasil. Ao mesmo tempo, o adversário de Lula, São Paulo ex-governador Geraldo Alckmin, sofre com a falta de carisma e uma falha ter deixado uma marca visível em cinco anos à frente do maior estado do Brasil. No entanto, Temer declina para prever o que vai acontecer nesta corrida, exceto para dizer que vai para um segundo turno, em que “qualquer coisa pode acontecer.” Ele confirmou que seu próprio partido não será executado um candidato a presidente e não se aliar com qualquer das Partes de Lula Trabalhadores (PT) ou a oposição do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), pelo menos não antes do segundo turno. No entanto, o PMDB vai vencer corridas dos governadores em pelo menos dez e, possivelmente, até quinze estados, e voltará a ter o maior bloco, tanto no Senado e na Câmara dos Deputados, de modo que “quem quer que vença a eleição presidencial terá que vêm até nós para fazer qualquer coisa “. RESUMO END. ———————- Sleight LULA DA MÃO ———————- 2. (SBU) Em um 19 reunião de junho, com o Cônsul Geral (CG) e Poloff, Michel Temer, deputado federal de São Paulo, ofereceu a sua avaliação do equilíbrio de forças para a eleição presidencial. Apesar de tudo ainda pode acontecer – ele tem visto candidatos superar muito maiores desvantagens do que Alckmin enfrenta atualmente e ganhar – é claro que o presidente Lula está em uma posição forte. Temer desapaixonadamente analisou como Lula tinha visto o seu Chefe de Gabinete e toda a liderança do seu partido desonrado, e os membros do Congresso proeminentes de seu partido arrastado por escândalo, e havia surgido, pessoalmente, mais ou menos intacto. Isto foi em parte porque outros partidos políticos – Temer mencionou o PSDB eo Partido da Frente Liberal (PFL), mas não a sua própria PMDB, embora o seu comentário poderia facilmente se aplicam a eles – teve, em diferentes momentos, esteve envolvido nos assuntos semelhante para “mensalão” esquema de corrupção infame do PT, e foram, portanto, não ansioso para expor crimes do PT ao máximo. 3. (U) Era também porque Lula teve um forte vínculo, tais com as pessoas, o chamado C, D e classes E – isto é, as classes média-baixa e inferior. Muitos desses estratos, na opinião de Temer, acredita que Fernando Henrique Cardoso (FHC) tinha roubado os pobres e dado aos ricos, enquanto Lula rouba dos ricos e dá aos pobres. Lula expandiu o programa “Bolsa Família” de 6,5 milhões de famílias em 2004 para 8,7 milhões em 2005 para 11 milhões de famílias este ano, ou (assumindo que dois filhos por família) cerca de 44 milhões de brasileiros. Isto, combinado com o aumento do salário mínimo, o aumento do real frente ao dólar, ea queda no preço de certos alimentos básicos, fazer os pobres muito melhor. Paradoxalmente, muitos dos ricos, especialmente banqueiros e outros agentes financeiros importantes, também se beneficiaram com políticas de Lula. 4. (SBU) É a classe média que tem sofrido tanto de uma carga tributária crescente ea perda de postos de trabalho de nível profissional. Em São Paulo 00000689 002 OF 004 verdade, Temer continuou, é difícil ser otimista sobre o futuro econômico do Brasil. O fato de 11 milhões de famílias elegíveis para folhetos Bolsa Família implica um mínimo de 44 milhões de pessoas na miséria abjeta no Brasil. Ele descreveu um evento recente que ele tinha assistido promovido pelo Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (IEDI), onde o ministro do Desenvolvimento, Comércio e Indústria Luiz Fernando Furlan fez um discurso otimista. Quando desafiado por um membro da audiência com algumas perguntas difíceis e estatísticas, Furlan, que se tem sido, por vezes, um crítico duro das políticas económicas do gob, teve o cuidado de responder. Brasil enfrenta sérios desafios na promoção do crescimento, estimulando a produtividade, atrair investimentos, melhorar a infra-estrutura e redução da desigualdade; no entanto, prestidigitação de Lula tem feito muitos eleitores todos, mas não tem conhecimento destes problemas crescentes. ————————– FALTA de Alckmin de carisma ——————– —— 5. (SBU) Enquanto isso, Alckmin é simplesmente preso. Temer acredita que desde que herdou o governo de Mario Covas, em 2001, Alckmin tem proporcionado um governo honesto, decente, competente para São Paulo. No entanto, em um país que aprecia superlativos, ele não o fez campeão quaisquer grandes obras, e suas realizações não são visíveis. Alckmin não é pessoalmente agressivo ou carismático e não é dado a carisma, para que ele não deixou uma marca distintiva sobre o estado. A título de comparação, Orestes Quércia (ref C), o governador de São Paulo de 1987 a 1990, foi um controverso (muitos dizem corrupto) figura, mas ele definitivamente deixou sua marca sobre o estado em muitas ruas e estradas e prisões e hospitais ele construiu. (COMENTÁRIO: O mesmo pode ser dito de colorido, e teria igualmente corruptos, ex-prefeito e governador Paulo Maluf END comentários..) O ex-presidente Cardoso foi outro exemplo de um político que tinha carisma. Mas vamos esperar e ver o que acontece, Temer sugeriu. Esperar até depois da Copa do Mundo, o que poderia ter impacto sobre os eleitores em uma variedade de diferentes e não são facilmente previsíveis maneiras, dependendo do resultado. Aguarde até que a publicidade televisiva subsidiado pelo governo começa. Será “uma grande guerra” nas ondas do rádio, e abre inúmeras possibilidades para o perdedor. 6. (U) Temer, ex-secretário Paulo Estado Sao de Segurança Pública, não era certo se Alckmin iria sofrer como resultado da recente violência nas ruas e nas prisões de São Paulo (ref E) perpetrados pelo grupo criminoso primeiro Comando da Capital (PCC). Algumas das suas críticas públicas do seu sucessor, o governador Claudio Lembo, tinha sido infeliz e não é bom para a sua imagem. Mas só o tempo dirá como esta situação se desenrola. ———————— A vez de Lula para a esquerda? ———————— 7. (SBU) CG perguntou o que um segundo mandato de Lula seria semelhante, assumindo que ele é re-eleito. Ao contrário de alguns dos nossos interlocutores, Temer acredita que Lula pode ter uma abordagem mais radical (ou seja, populista) durante um segundo mandato. O incidente recente em que os radicais do Movimento de Libertação dos Sem Terra (MLST) invadiram a Câmara dos Deputados (ref D) e cometeram atos de vandalismo foi um prenúncio do que está para vir. O líder do grupo, um membro da Comissão Executiva da PT, teve em muitas ocasiões ao longo dos anos foi visto ao lado de Lula. O PT tinha lhe suspenso, mas tinha tomado nenhuma ação adicional e não parecem particularmente chateado com o episódio, Temer observou. 8. (SBU) Lula, na opinião de Temer, era um sindicalista que tinha feito bem para si mesmo, que, uma vez reeleito, pode finalmente começar a ouvir os seus amigos do lado esquerdo. Muito possivelmente, ele deixou-se conduzir SAO PAULO 00000689 003 OF 004 longe das políticas macroeconómicas ortodoxas que têm dominado o seu primeiro mandato. (Comentário:. Alguns outros observadores também têm apontado para expansão do gasto social do governo brasileiro nos últimos meses, como uma indicação de que Lula está à deriva deixou Até agora, no entanto, esta despesa parece em linha com as medidas priming da bomba da maioria dos operadores que procuram re- eleição. enquanto Temer vê a campanha de Lula picada “ricos contra pobres” como um sinal das coisas por vir em um segundo mandato, muitos analistas que têm seguido a carreira de Lula caracterizá-lo como um “conservador cultural”, que é pouco provável a sucumbir à esquerda radical / tentação populista. a mais preocupante, e mais provável, o cenário é um governo Lula em segundo mandato que falta a orientação política, vontade política e de maioria trabalhando no Congresso necessária para empurrar através de reformas económicas e políticas essenciais. COMENTÁRIO END.) — ————————— PMDB – UMA CASA (AINDA) dividido ————— ————— 9. (SBU) Virando-se para a sorte do seu próprio partido, Temer confirmou relatos de que o PMDB não vai correr o seu próprio candidato para o presidente, e não entrará em uma aliança formal quer com o PSDB ou o PT. Qualquer destas opções, a nível nacional, explicou, iria prejudicar as chances do partido em alguns dos estados, porque a regra “verticalização” permanece em vigor durante as eleições de 2006. A recente decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que teria apertou ainda mais as regras que regem alianças partidárias (ref B), foi provavelmente correta, Temer averred, mesmo que teria sido desastroso para o PMDB. Se você estiver indo para exigir às partes para replicar as suas alianças nacionais a nível estadual, faz todo o sentido para ir um passo mais longe e dizer que os partidos que não são executados ou formalmente apoiar candidatos presidenciais não podem aliar a nível estadual com partidos isso faz. No entanto, como a cabeça de um partido cuja essência é a construção de coalizão em nível estadual, Temer foi aliviado quando o TSE inverteu-se dentro de 48 horas, e ele olhou para a frente para as eleições de 2010, quando a emenda constitucional que suprime a regra “verticalização” totalmente entraria em vigor. 10. (SBU) Se a eleição presidencial vai para o segundo turno, como Temer é certeza que vai, o PMDB pode nesse momento jogue o seu apoio a um lado ou do outro. O PMDB permanece dividida quase igualmente entre o pró e grupos anti-Lula. O ex busca alianças com o PT e espera por vários ministérios em segunda administração de Lula. Temer, que é anti-Lula, era altamente crítico do pro Lula facção e comentou com ironia sobre algumas das contradições e divisões internas do partido. Renan Calheiros, presidente do Senado, é o líder do pro Lula-facção do PMDB; ainda, em seu estado natal de Alagoas (nordeste), o PMDB vai apoiar candidato a governador do PSDB, senador Teotonio Vilela. Outro líder pró-Lula é senador (e ex-presidente), José Sarney, mas sua filha, PFL senadora Roseana Sarney, estará funcionando para o regulador do Maranhão (também no nordeste), com o apoio do PMDB contra um candidato do PT. Temer delineou o estado situação por estados, terminando com São Paulo. O PSDB, observou ele, mal quer uma aliança com o PMDB, mas querem escolher o candidato do PMDB para ser vice de José Serra. Este problema será resolvido dentro de uma semana, uma vez que o PMDB realiza sua convenção estadual em 24 de junho O partido não vai realizar uma convenção nacional 29 de junho, como originalmente planejado, já que todas as suas questões a nível nacional foram resolvidas em um preliminar 11 de junho caucus . 11. (SBU) Temer, que havia se fortemente favorecido respondendo a um candidato presidencial PMDB (ref F), observou que, ao abandonar essa ambição, o PMDB está para vencer corridas dos governadores em dez ou talvez até quinze estados, e terá novamente os maiores blocos, tanto no Senado e na Câmara dos Deputados. Assim, o que SAO PAULO 00000689 004 OF 004 partido ganha a Presidência terá inevitavelmente a buscar uma aliança com o PMDB para governar. Temer falou causticamente de recompensas miseráveis ​​do governo Lula para seus aliados no PMDB. Eles dão o trabalho de ministro a um legalista PMDB, mas nenhum controle real sobre o Ministério; Assim, ele não pode realizar qualquer coisa. Em contraste, Temer acredita que, em troca de aderir a uma aliança governista, o partido deve ser dado o controle sobre um setor da economia, agricultura, por exemplo, ou de saúde, e a responsabilidade total para operar nesse sector, e deve receber todo o crédito ou culpa por os sucessos e fracassos nesse sector. (COMENTÁRIO: deixado de dizer, é claro, é que o tipo de controle Temer prevê também daria ao PMDB e outros partidos aliados, a oportunidade de avançar seus objetivos de patrocínio políticos à custa dos contribuintes O PMDB, que é o maior político do Brasil. partido, já é bem conhecido como um veículo para patrocínio. COMENTÁRIO END.) ——- ——- COMENTÁRIO 12. (SBU) Temer foi mais caridoso em sua avaliação da campanha de Alckmin e seu desempenho como Governador do próprio colega PSDB de Alckmin, Andrea Matarazzo (ref A). No entanto, a crítica de Temer atinge casa: Alckmin pode realizar nos próximos meses, mas até agora ele simplesmente não se conectou a qualquer nível com o eleitorado. desempenho no trabalho de Lula, por outro lado, pode ser uma questão em aberto, mas a sua capacidade de se comunicar e se relacionam com a média brasileira é insuperável. Temer é correto que qualquer vitórias candidatos terão de voltar-se para o PMDB para o apoio no governo. O verdadeiro problema é que o PMDB não tem estrutura ideologia ou política que ele poderia trazer para a tarefa de formular e implementar uma agenda política nacional coerente. Apesar ilustre história do partido como a força motriz que levou o Brasil da ditadura militar para a democracia, o PMDB, que agora detém o equilíbrio do poder político, foi transferida para uma coalizão de oportunistas “caciques” regionais, que em sua maior parte – e não são exceções – buscam o poder político para o seu próprio bem. um partido tal, não é adequado para a tarefa de fornecer uma orientação política, o que seria particularmente importante em uma aliança pós-eleitoral com a PT rudderless de Lula. COMENTÁRIO END. 13. (U) Este cabo foi coordenada / limpo com Embaixada Brasília. McMullen


No artigo

x