Deputado Jair Bolsonaro é declarado “persona non grata” em sua cidade natal

Ato da Câmara Municipal de Campinas (SP) foi uma retaliação ao parlamentar, que chamou os vereadores de “otários” e “desocupados” por criticarem sua homenagem ao Coronel Ustra, torturador do regime militar.

3599 1

Ato da Câmara Municipal de Campinas (SP) foi uma retaliação ao parlamentar, que chamou os vereadores de “otários” e “desocupados” por criticarem sua homenagem ao Coronel Ustra, torturador do regime militar

Por Redação

A Câmara Municipal de Campinas (SP) aprovou nesta segunda-feira (16) moção que torna “persona non grata” o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ). O ato de repúdio ao parlamentar, nascido na cidade, surgiu como retaliação a uma entrevista que ele deu ao jornal local “Correio Popular”, chamando os vereadores de “otários” e “desocupados”.

“Diante de tamanha ofensa aos trabalhos desta Nobre Casa Legislativa, discordamos da clara tentativa de desqualificar o Poder Legislativo municipal e entendemos que o parlamentar passa a ser persona non grata em Campinas”, informou o documento.

A polêmica teve início depois que a Câmara se manifestou contrária à homenagem feita por Bolsonaro ao Coronel Ustra, torturador do regime militar, durante a votação do impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

“Essa Câmara Municipal de vocês aí é fraca. Estou me lixando para esses vereadores que votaram isso. Eles não têm o que fazer, são uns desocupados… Esses vereadores são uns otários”, disse ao jornal sobre o assunto. “O coronel Ustra foi um herói nacional, ele lutou pela nossa democracia, pela nossa liberdade.”

Foto de capa: Nilson Bastian / Câmara dos Deputados



No artigo

1 comment

  1. André Anlub Responder

    Ele acha que Ustra lutou pela democracia e pela liberdade? O problema dele é patologicamente platônico!


x