Juíza dá sentença contra mulher que sofreu abuso sexual no metrô

Decisão da magistrada afirma que a vítima “nada fez” para denunciar.

2730 0

Decisão da magistrada afirma que a vítima “nada fez” para denunciar: “Ficou impassível e nada fez enquanto era tocada por terceiro”

Por Redação

A juíza Tamara Hochgreb Matos negou, na última quinta-feira (16) uma ação por danos morais apresentada por uma mulher que foi vítima de abuso sexual dentro do metrô de São Paulo. O caso veio à tona nesta terça-feira (21).

A autora, que preferiu não se identificar por sentir vergonha do episódio, estava usando o serviço no dia 02 de outubro de 2015, por volta das 8h40, considerado horário de pico da manhã. Ela estava na estação da Sé indo em direção ao Brás quando foi vítima do abuso. No processo, a vítima pedia uma indenização de 100 salários mínimos.

Segundo a magistrada, a vítima não teria feito nada para denunciar.

“Ficou impassível e nada fez enquanto era tocada por terceiro”, afirmou em um trecho da sentença.

Além disso, a juíza alegou na decisão, favorável ao Metrô, que foram os seguranças quem desconfiaram da situação e que ainda assim demoraram a agir porque a vítima não tinha “expressado seu incômodo de forma inequívoca”.

Os mesmos seguranças que desconfiaram da ação detiveram o suspeito e o levaram para a delegacia, onde todos prestaram depoimentos.

O Metrô afirmou não ser culpado da agressão e que não vai recorrer da sentença. A defesa da vítima, ao contrário, irá recorrer da decisão da juíza.



No artigo

x