Ex-diretor da Eletronuclear é alvo de nova ação da Polícia Federal

Othon Luiz Pinheiro da Silva, ex-presidente da Eletronuclear, seguirá para o Complexo Penitenciário de Bangu, onde estão presos o dono da construtora Delta, Fernando Cavendish, e o bicheiro Carlinhos Cachoeira.

1454 0

Othon Luiz Pinheiro da Silva, ex-presidente da Eletronuclear, seguirá para o Complexo Penitenciário de Bangu, onde estão presos o dono da construtora Delta, Fernando Cavendish, e o bicheiro Carlinhos Cachoeira

Por Redação

Na manhã desta quarta-feira (6), a Polícia Federal cumpre 10 mandados de prisão em Porto Alegre e no Rio de Janeiro a partir de investigações de irregularidades nos contratos da Eletronuclear. O principal alvo da ação é o ex-presidente da empresa, Othon Luiz Pinheiro da Silva, que deve ser levado para o Complexo Penitenciário de Bangu, onde estão presos o dono da construtora Delta, Fernando Cavendish, e o bicheiro Carlinhos Cachoeira.

A Operação Pripyat apura as negociações de um grupo de empresas que estariam ligadas ao pagamento de propinas referentes às obras da usina Angra 3. De acordo com a PF, seis funcionários dessas companhias foram presos preventivamente.

A ação cumpre, ao todo, nove mandados de condução coercitiva, três de prisão temporária e 26 de busca e apreensão. Os crimes investigados envolvem lavagem de dinheiro, peculato, organização criminosa e corrupção.

Pinheiro já tinha sido alvo da 16ª etapa da operação Lava Jato, chamada Radioatividade, realizada em julho de 2015, e atualmente está em prisão domiciliar. Ele foi acusado de ter se beneficiado com R$ 4,5 milhões graças a contratos de fachada para conseguir dinheiro das construtoras Andrade Gutierrez e Engevix.

Foto: Antonio Cruz / Agência Brasil



No artigo

x