Justiça de SP manda cassar o passaporte diplomático do RR Soares concedido por Serra

Uma ação popular foi movida questionando o benefício dado ao pastor e a sua esposa, alegando “desvio de finalidade” do documento Por Redação A...

1976 0

Uma ação popular foi movida questionando o benefício dado ao pastor e a sua esposa, alegando “desvio de finalidade” do documento

Por Redação

A Justiça Federal em São Paulo mandou suspender, nesta quinta-feira os passaportes diplomáticos cedidos a RR Soares e sua esposa Maria Magdalena Ribeiro Soares. Os documentos haviam sido emitidos a pedido do ministro de Relações Exteriores, José Serra, no dia 29 de junho.

O advogado Ricardo Abin Abrahão Nacle entrou com uma ação popular que questiona o benefício, alegando “desvio de finalidade”.

Segundo a ação movida por Nacle, “O corréu não exerce função ou missão de interesse do país que possa justificar a concessão do passaporte diplomático e os benefícios dele decorrentes”.

O juiz da 7ª Vara Federal Cível, Tiago Bologna Dias, mandou o pastor e sua esposa entregarem os documentos em até 5 dias. Na decisão, o magistrado disse que o benefício representa uma “confusão entre Estado e religião incabíveis”.

“Na Ordem Constitucional vigente o Estado é laico, há separação plena entre Igreja e Estado, de forma que é efetivamente incompatível com a Constituição que líder religioso, nesta condição e no interesse de sua instituição religiosa, seja representante dos interesses estatais brasileiros no exterior”, decretou o juiz.

O passaporte diplomático permite que o portador entre ou saia de países que mantenham relações diplomáticas com o Brasil sem a necessidade de visto ou burocracias.

O Ministério das Relações Exteriores afirmou que o benefício é dado a membros do clero desde o período imperial e que dá-lo a líderes da igreja evangélica é uma forma de combater a intolerância a religiões no país.

Foto de Capa: Reprodução/ Youtube



No artigo

x