Cavendish, Carlinhos Cachoeira e outros três deixam presídio para prisão domiciliar

Na última sexta-feira, decisão provisória do STF aceitou pedido da defesa de Carlinhos Cachoeira e ampliou medida para outros quatro investigados pela Operação Saqueador. Ambos foram liberados para prisão domiciliar nesta segunda (11).

595 0

Na última sexta-feira, decisão provisória do STF aceitou pedido da defesa de Carlinhos Cachoeira e ampliou medida para outros quatro investigados pela Operação Saqueador. Ambos foram liberados para prisão domiciliar nesta segunda (11)

Por redação

Fernando Cavendish, Carlinhos Cachoeira, Adir Assad, Claudio Abreu e Marcelo Abbudt foram transferidos do regime fechado no presídio Bangu 8, na zona oeste do Rio de Janeiro, para a prisão domiciliar. Todos os cinco foram presos pela Operação Saqueador por participarem de esquema de lavagem de dinheiro que envolveu pelo menos 18 empresas de fachada e lavou cerca de R$370 milhões.

A decisão de liberar os presos para a prisão domiciliar partiu de liminar do Supremo Tribunal Federal (STF) na última sexta-feira (8). Após aceitar pedido da defesa do bicheiro Carlinhos Cachoeira, o ministro Nefi Cordeiro determinou a soltura dos cinco investigados mesmo depois da polêmica sobre a falta de tornozeleiras eletrônicas para o monitoramento de presos em regime domiciliar. Os cinco investigados serão monitorados por agentes da Polícia Federal.

Adir Assad, um dos presos transferidos para regime domiciliar, foi alvo de outra ação, pela Operação Pripyat, derivada da Lava Jato. Assad teve um novo pedido de prisão devido a essa ação, na qual é investigado por pagamento de pelo menos R$ 48 milhões em propina para Andrade Gutierrez durante a construção da usina nuclear Angra 3.

Foto: Valter Campanato



No artigo

x