Marcha Mundial das Mulheres lança financiamento coletivo para Virada Feminista

No último dia 5, a Marcha das Mundial das Mulheres lançou uma campanha de financiamento coletivo pelo Catarse para a produção da Virada Feminista, que acontecerá nos dias 4 e 5 de setembro.

1856 0

No último dia 5, a Marcha das Mundial das Mulheres lançou uma campanha de financiamento coletivo pelo Catarse para a produção da Virada Feminista, que acontecerá nos dias 4 e 5 de setembro em São Paulo

Por Matheus Moreira

O tema da 2ª edição da Virada Feminista é “A Resistência que Transforma”. O evento, que acontecerá na capital paulista entre os dias 5 e 6 de setembro, reunirá mulheres atuantes em diversos setores da cultura, da música ao grafite, passando por teatro, dança, culinária, oficinas culturais e debates.

Para a organização, o distanciamento social e geográfico é um fator marcante na acentuação das desigualdades de gênero, raça, classe e orientação sexual. Para trazer mais visibilidade à cultura feminista e ressaltar sua importância como “um projeto coletivo de transformação social”, a Marcha Mundial das Mulheres lançou em 5 de julho, no Catarse, um financiamento coletivo para produzir o evento. A maior parte da meta servirá como reconhecimento para o trabalho das artistas e militantes que participarão.

O evento aposta na economia Feminista e Solidária, com uma feira que servirá de palco para mulheres artesãs que, por meio do seu trabalho e de sua arte, buscam (e encontram) autonomia, resistindo ao machismo institucionalizado e à misoginia.

A organização do evento espera um público expressivo de pelo menos mil pessoas nos dois dias do evento, entre estudantes, artistas, militantes, sindicalistas, mulheres urbanas e rurais e público interessado nos debates.

Beatriz de Paula, militante da Marcha Mundial das Mulheres, aponta que essa edição da virada apresentará mais atividades simultâneas e ressalta preocupação em engajar o público fora da classe média.

“Esse ano também vamos ter uma preocupação maior com as crianças, para incluir as mulheres que são mães. Também temos a preocupação de atingir um público fora da classe média, por isso a escolha pelo CCJ [Centro Cultural da Juventude], que é na periferia; isso vai se refletir na programação também”, disse.

Confira o vídeo do evento:

 

Foto: Reprodução Facebook

SERVIÇO

Virada Feminista – A Resistência que Transforma
3 e 4 de setembro (24h consecutivas, das 17h às 17h)
Gratuito e aberto a todos os públicos
Centro Cultural da Juventude – Av. Dep. Emílio Carlos, 3641, Vl Nova Cachoeirinha, São Paulo



No artigo

x