Deputados que apoiam Cunha querem adiar o processo de cassação

O presidente da Câmara afirmou que colocará o processo em votação em agosto, depois do recesso, mas preferiu não definir data.

876 0

O presidente da Câmara afirmou que colocará o processo em votação em agosto, depois do recesso, mas preferiu não definir data

Por Redação

O processo de cassação do mandato do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) ainda não tem data definida de votação no plenário da Câmara.

“Eu só não quero colocar data porque, se não tiver quórum, vocês vão ficar me cobrando que eu adiei a votação”, afirmou, nesta quarta-feira (20), o atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Maia falou sobre o quórum porque existe a desconfiança de que parlamentares apoiadores de Cunha não apareçam na votação com o intuito de prolongar e desgastar ainda mais o processo de cassação, que já é o mais longo da história.

“O PSB vai cobrar presença, igual escolinha”, disse o líder do partido, Paulo Foletto (ES).

O medo dos deputados que desejam a cassação rápida de Cunha é de que os parlamentares do “centrão”, grupo que apoia o ex-presidente da Câmara, utilize as convenções partidárias que vão definir os candidatos das eleições municipais e até mesmo os Jogos Olímpicos do Rio como desculpas para não participarem da votação.

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil



No artigo

x