Ministro da Justiça diz que prisões aconteceram para dissuadir “outros terroristas”

Juiz que ordenou as prisões diz que existe a possibilidade que suspeitos sejam soltos, mas que eles utilizarão tornozeleiras. Fala do ministro ressalta argumento de que faltava motivações para prisões.

1078 0

Juiz que ordenou as prisões diz que existe a possibilidade que suspeitos sejam soltos, mas que eles utilizarão tornozeleiras. Fala do ministro ressalta crítica de que faltava motivações para prisões

Por Redação

Em entrevista no último domingo, (24), o ministro da Justiça, Raul Jungmann, afirmou que as prisões da Operação Hashtag foram feitas para assustar terroristas e evitar atentados.

“A (lei antiterrorismo) Ela tipifica com penas muito duras os atos preparatórios. Até quatro anos. Pode chegar a 21 anos combinado com outras penas. O ato terrorista fere tão amplamente os direitos dos outros que o próprio ato preparatório deve ser punido assim. Foi para demonstrar que temos capacidade e que a punição será muito dura. É um efeito dissuasório’, afirmou o ministro.

O juiz responsável pelo caso, Marcos Josegrei da Silva, contou em entrevista ao jornal O Globo que os suspeitos podem ser liberados, mas que ainda assim deverão usar tornozeleira.

Leia também

Segurança, propaganda política ou preconceito? As perguntas não respondidas da ação “antiterrorismo”

“Os únicos grupos que ele tinha no WhatsApp eram de aula de árabe”, diz esposa de acusado de terrorismo

Foto de Capa: Marcelo Camargo/ Agência Brasil



No artigo

x