Depois de quinze estupros, ginecologista é condenado a 130 anos de prisão

O médico Pedro Augusto Ramos da Silva é acusado de abusar sexualmente de mais de 15 pacientes em seu consultório e em hospitais públicos de Ariquemes (Rondônia) Por Redação ...

2145 0

O médico Pedro Augusto Ramos da Silva é acusado de abusar sexualmente de mais de 15 pacientes em seu consultório e em hospitais públicos de Ariquemes (Rondônia)

Por Redação 

Preso provisoriamente desde março, o médico ginecologista Pedro Augusto Ramos de Silva, de 59 anos, foi condenado na última terça-feira (2) a 130 anos de prisão em regime fechado pelo estupro de mais de 15 pacientes. A decisão foi proferida pela juíza Cláudia Maria da Silva Faleiros Fernandes, do Tribunal de Justiça de Rondônia.

Segundo a Justiça, o médico praticou os abusos sexuais entre 2014 e 2015 no seu consultório particular, em um posto de saúde, em um hospital privado e no hospital regional de Ariquemes, cidade a 204km da capital Porto Velho.

Pedro foi preso depois que mais de quinze vítimas procuraram a polícia e relataram os abusos, que eram cometidos sempre de forma parecida: o médico pedia para que as vítimas se despissem e, ao longo da consulta, as masturbava sob o pretexto de estar examinando-as.

“São mulheres corajosas, resilientes, que enfrentaram um obstáculo talvez inatingível, passaram por cima de sua própria intimidade para impedir que outras incontáveis mulheres viessem a serem vítimas de fatos semelhantes”, escreveu na sentença, sobre as vítimas, a magistrada responsável pelo caso.

Foto: Reprodução 

 



No artigo

x