7 poemas em vídeo contra o golpe

Coletivo "Poetas Contra o Golpe" produz versos contra o governo interino; veja todos os vídeos.

3088 0

Coletivo “Poetas Contra o Golpe” produz versos contra o governo interino; veja todos os vídeos

Por Júlia Dolce, do Brasil de Fato

No dia 16 de abril, um grupo de poetas publicou o manifesto da classe contra o impeachment da presidenta Dilma Rousseff, formando o coletivo “Poetas Contra o Golpe”, um dos muitos grupos de profissionais e artistas que foram criados em oposição ao governo interino de Michel Temer e em defesa da democracia.

“Somos poetas, cidadãos e cidadãs, e nos unem o exercício da poesia e a defesa da democracia. Poetas Contra o Golpe têm a palavra, a poesia poderosa em defesa da democracia, tão ameaçada neste país, pelos mesmos senhores históricos de todo o sempre: os verdadeiros inimigos do povo e da democracia”, afirma o documento.

O grupo realizou o sarau “poesia rima com democracia” no mesmo dia 16, em Brasília, um dos eventos culturais que têm marcado a luta pela democracia no campo da cultura. Desde que Temer assumiu o poder, diversas provocações e intervenções culturais e artísticas vêm sendo produzidas como resistência ao impeachment.

Confira alguns dos versos “contra o golpe”:

1. Não Me Representa – Vinicius Borba​​​​​​
O poeta, jornalista e produtor cultural Vinicius Borba interpreta seu poema “Não me Representa” no ato do dia 18 de março de 2016. Borba é militante de movimentos socioculturais das cidades satélites do Distrito Federal, como o Radicais Livres S/A.

2. Baque na Molera – Lucas Afonso

O rapper Lucas Afonso, atual campeão brasileiro de Slam Poetry, competição de poesia que vem ganhando espaço entre os coletivos culturais do pais, apresenta o poema “Baque na Molera” no programa Manos e Minas, da TV Cultura. Lucas, de 23 anos atualmente faz parte da banda “Visões de Severino”, e chegou na semifinal da Copa do Mundo de Slam, realizada em Paris, em junho deste ano.

3. Contra-Golpe: Repetiremos nós resistência – Bárbara Esmenia

A poetisa, ativista feminista, atriz e articuladora do Teatro da Oprimida em São Paulo, Bárbara Esmenia, expressou seu protesto contra o golpe no poema “Repetiremos nós Resistência”, divulgado na sua conta do YouTube.

4. Alma Blindada – Alpiste de Gente | Jairo Pereira

O poeta, artista multimídia e vocalista da Banda Aláfia, Jairo Pereira, também é dono do canal do YouTube e página Alpiste de Gente, onde recita poesias autorais. O poema Alma Blindada, um protesto em defesa da democracia e liberdade, foi criado a partir de uma edição que embaralhou os trechos da poesia original.

5. Retrocesso Por Extenso – Nêggo Tom

O cantor e compositor Nêggo Tom, colunista do site Brasil 247, também deixou sua mensagem versada contra o golpe:

Retrocesso por extenso. Um poema contra o golpe
22 de Maio de 2016

A chuva cai e tange a esse momento

Mil nuvens turvas a jorrar seu fel

Vertendo lástimas meio mundo chora

Enquanto a outra parte prova o mel.

O filme, a dor e o frio se misturam.

Mesmo ao relento tem um ar de glória.

Sob a batuta de um maestro intruso

Um pau de fogo rege a memória.

Aquela arma hoje é mais precisa

A velha tática ainda se usa

Demonizar a cor do movimento

Para manter a esperança reclusa.

Feito um trovão a injustiça brada

Um riso mórbido no olhar do impuro

Faz do inocente um réu se não lhe agrada.

Guia a nação por um caminho escuro

E nesse instante aquela chuva cessa

E a tempestade segue invisível

Água do céu é pra lavar a alma

Alma do mal faz o céu impossível

A luta era uma mulher de fibra

O pulso forte, a fera fêmea incisa.

Um joelho que não se dobrou ao rito

Foi apanhada a traição precisa.

Feras a solta impunham um cajado

Juntando ovelhas para um precipício

Um ser isento se mantém calado.

Pagando caro o próprio sacrifício.

São longos dias. Cento e oitenta gritos.

Tempo que o infame Príncipe desfruta.

Pra convencer o reino e o seu umbigo

De que não é um filho da permuta.

Chega à cidade mais de mil soldados

Julgando o povo que abraça a luta.

Quem os comanda tem sede de sangue

Quem os resiste tem a força justa.

Um argumento que veio a cavalo

Pra dar ao golpe um galope intenso

Fazendo o progresso ir pelo ralo

Escrevendo o retrocesso por extenso.

E nesse instante aquela chuva volta

Ouço respingos no telhado ao lado

Olho o infinito em tela reduzida

E subscrevo um eu indignado.

6. O Poeta Come Amendoim – Mario de Andrade – Renata Sorrah

A atriz Renata Sorrah abriu a Ocupação do Palácio Capanema, no Rio de Janeiro, contra o fim do Ministério da Cultura pelo governo interino, com a leitura do poema “O poeta come amendoim”, de Mario de Andrade. “Estou aqui pelo nosso país, nossa cultura e nossa democracia”, completou.

7. Sarau de Michel Temer

Produzido pelos Jornalistas Livres, o vídeo “Sarau de Michel Temer” ironiza os poemas publicados pelo próprio presidente interino Michel Temer no seu livro “Antônima Intimidade”, relacionando os versos escritos por Temer com o atual contexto político do país.



No artigo

x