“Maratona Fora Temer”: Cartazes são erguidos em muitos trechos da corrida

No começo da av. Rio Branco com a praça Mauá, a CTB, Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil estendeu uma faixa de 20 metros dizendo: “Fora Temer! Fora Golpistas!”. Por Redação*...

3709 0

No começo da av. Rio Branco com a praça Mauá, a CTB, Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil estendeu uma faixa de 20 metros dizendo: “Fora Temer! Fora Golpistas!”.

Por Redação*

Durante quase todo o trajeto da maratona feminina dos Jogos Olímpicos foi possível observar cartazes escritos “Fora Temer”, pedindo a saída do presidente interino.

A maratona é uma das únicas provas em que qualquer pessoa consegue assistir por acontecer no meio das ruas da cidade. No começo da av. Rio Branco com a praça Mauá, a CTB, Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil estendeu uma faixa de 20 metros dizendo: “Fora Temer! Fora Golpistas!”. No próximo domingo, 21, é a prova masculina que encerra os jogos.

Leia também: Segurança permite “Fora Temer”, mas cartaz contra a Globo é proibido

A queniana Jemima Sumgong venceu a maratona com o tempo de 2h24min04. Foi a primeira vitória do país na prova feminina, que começou a ser disputada em 1984.

“Estou muito feliz por ser a primeira mulher queniana a ganhar a maratona. No quilômetro 35 vi que minhas colegas de equipe tinham desistido, isso me motivou a continuar. No quilômetro 40 percebi que éramos só três na liderança e senti que não poderia deixar o ouro escapar”, disse a vencedora.

A estudante de direito, Ingride Figueiredo, que participou do protesto defende que os Jogos devem servir também para a manifestação política. “A Olimpíada também é política, se manifestar contextualiza os jogos, é um direito e um dever. É nossa obrigação fazer essa comunicação com os outros países, mostrando exatamente o que a população está vivendo, não apenas o que se mostra na mídia”, declarou. “Gosto da ideia do espírito olímpico, mas também representa muito dinheiro envolvido, muita empresa lucrando”, completou.

O funcionário público Walter Cecchetto Filho segurava uma das faixas contra o governo interino. “Estamos todos aqui querendo o melhor para o país, o melhor para o país e se tudo der certo vamos reverter esse golpe no Senado”, declarou, em referência ao processo de impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff, que tramita no Senado.

13913564_1203401823013823_6099022971959076969_o 13906658_1203401796347159_2133942006065811884_n 13938184_1203401766347162_2473880378447572941_o 14022230_1203401783013827_4375685833533835098_n

*Com informações da Agência Brasil

Fotos: Bruno Bou/ CUCA da UNE



No artigo

x