“Boi Neon” decide não participar da seleção do Oscar em retaliação ao crítico que condenou protesto de “Aquarius”

“Diante da gravidade da situação e contrários à criação de precedentes desta ordem, registramos nosso desconforto em participar de um processo seletivo de imparcialidade questionável”, escreveu a produção do longa no Facebook Por Redação...

1647 0

“Diante da gravidade da situação e contrários à criação de precedentes desta ordem, registramos nosso desconforto em participar de um processo seletivo de imparcialidade questionável”, escreveu a produção do longa no Facebook

Por Redação

O diretor brasileiro Gabriel Mascaro decidiu retirar o seu filme “Boi Neon” da seleção brasileira que elege os representantes do cinema nacional no festival do Oscar. A atitude foi tomada em retaliação ao crítico Marcos Petrucelli, que condenou o protesto do elenco do filme “Aquarius” durante o festival de Cannes.

“É lamentável que o Ministério da Cultura, por meio da Secretaria do Audiovisual, endosse na comissão de seleção um membro que se comportou de forma irresponsável e pouco profissional ao fazer declarações, sem apresentação de provas, contra a equipe do filme Aquarius, após o seu protesto no tapete vermelho de Cannes”, escreveram em um post na página do filme.

Na época, Marcos Petrucelli disse em uma rede social que “vergonha é o mínimo que se pode dizer sobre o protesto”. Ele se referia à manifestação do elenco de “Aquarius” que, em pleno tapete vermelho da premiação de Cannes, ergueu placas contra o golpe em curso no país com o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

A produção de “Boi Neon” questionou a imparcialidade da seleção e disseram que se sentiriam desconfortáveis em participar.

“Aquarius foi o único filme latino-americano na competição oficial de Cannes,tendo sido aclamado pela crítica internacional. Diante da gravidade da situação e contrários à criação de precedentes desta ordem, registramos nosso desconforto em participar de um processo seletivo de imparcialidade questionável”, escreveram.

A diretora brasileira Anna Muylaert também desistiu de concorrer ao Oscar com o seu filme novo “Mãe, Só Há Uma”.

“Achamos que este é o ano de ‘Aquarius’. É o filme certo”, disse a cineasta ao jornal Folha de S.Paulo.

Foto de Capa: Divulgação



No artigo

x