Haddad lança campanha de redes com vídeo sobre a história de uma transexual

O candidato à reeleição em São Paulo apostou na história de superação de Priscila, beneficiária do programa Transcidadania – primeiro programa de políticas públicas no Brasil destinado à população trans – para inaugurar a...

9271 0

O candidato à reeleição em São Paulo apostou na história de superação de Priscila, beneficiária do programa Transcidadania – primeiro programa de políticas públicas no Brasil destinado à população trans – para inaugurar a série “Números não contam histórias, pessoas sim”. Assista

Por Redação

O atual prefeito da capital paulista e candidato à reeleição, Fernando Haddad (PT), inaugurou uma nova série para sua campanha de redes com um vídeo que conta a história de superação de uma transexual. Publicado no início da noite desta quinta-feira (25), o vídeo da série “Números não contam histórias, pessoas sim” narra a trajetória de Priscila Valentina, transexual nordestina que está há dez anos em São Paulo e que é beneficiária do programa Transcidadania, criado pela gestão Haddad em 2015.

“Na época que eu me assumi, os próprios policiais prendiam a gente na rua e deixava a gente na rua, sem roupa, até o dia seguinte. Hoje eu posso ter uma consulta na ‘endócrina’. Nem conhecia. Até guardei pra falar por que é bonita (…). O projeto [Transcidadania] deu muita visibilidade pra nós, que é o que estávamos precisando”, conta Priscila.

Leia também: “O único lugar que a travesti tinha era a esquina. Agora tem a escola”

Lançado em janeiro de 2015 pelo prefeito Fernando Haddad, o Transcidadania é o primeiro programa de políticas públicas do Brasil destinado a travestis, mulheres transexuais e homens trans que vivem em situação de vulnerabilidade. Criado para ressocializar uma população sujeita à marginalização e a à prostituição, o programa oferece educação, formação escolar básica e qualificação profissional, além de bolsas-auxílio pelo período máximo de dois anos para que essa população possa concluir o Ensino Fundamental ou Médio. Os beneficiários também recebem cursos de qualificação profissional e atividades culturais.

Assista.



No artigo

x