Efeito Serra: Sobe para 80 número de postos que aderiram à greve dos servidores do Itamaraty

Consulados no Canadá, Espanha e Bélgica anunciaram atraso em entrega de documentos; categoria quer equiparação salarial com carreiras típicas de Estado e reivindicam reunião com o ministro interino José Serra. Essa é primeira paralisação...

1357 0

Consulados no Canadá, Espanha e Bélgica anunciaram atraso em entrega de documentos; categoria quer equiparação salarial com carreiras típicas de Estado e reivindicam reunião com o ministro interino José Serra. Essa é primeira paralisação da história da pasta

Por Opera Mundi

A greve dos servidores do Ministério das Relações Exteriores chega a seu quarto dia nesta quinta-feira (28/05) com a adesão de funcionários em 80 postos diplomáticos no Brasil e no exterior, informou na quarta-feira (24/08) o Sinditamaraty (Sindicato Nacional dos Servidores do Ministério das Relações Exteriores).

A categoria reivindica equiparação salarial dos integrantes do SEB (Serviço Exterior Brasileiro) às demais carreiras típicas de Estado do Poder Executivo.

Com a greve, iniciada na segunda-feira (22/08) por tempo indeterminado, os funcionários do Itamaraty pressionam para receber o mesmo valor designado a profissionais de áreas como Receita Federal, Abin (Agência Brasileira de Inteligência) e Planejamento.

Leia também: Primeira greve geral do Itamaraty na história acontece durante gestão Serra

O sindicato informou também que já ocorre o atraso na entrega de documentos, como é o caso dos consulados do país em Barcelona (Espanha), Bruxelas (Bélgica), Vancouver e Montreal (Canadá). As representações publicaram, em suas páginas de Facebook, notas alertando sobre atrasos na prestação de serviços.

Segundo o Sinditamaraty, 30% dos servidores continuam em atividade, como determina a legislação brasileira.

Nesta quarta-feira (24/08), servidores em greve fizeram uma manifestação em Brasília que começou em frente ao Ministério do Planejamento e terminou na área externa do Palácio do Itamaraty.

Negociações

As negociações para a recomposição salarial da categoria se iniciaram em março de 2015. O Ministério do Planejamento ofereceu, em diversas ocasiões, a proposta de reajuste de 27,9%, que seria dividida em três anos e passaria valer a partir de janeiro de 2017. Todas as vezes, porém, o sindicato rechaçou a proposta, sob alegação de que o percentual não cobre a defasagem acumulada desde 2008.

Um estudo do sindicato sobre a remuneração recebida pelos integrantes do Serviço Exterior Brasileiro e pelos servidores de outras carreiras típicas indicou uma defasagem média de 28,48% para o cargo de assistente de chancelaria; 31,88%, para o posto de oficial de chancelaria; e 7,11% para diplomatas.

A categoria critica também a falta de diálogo por parte da cúpula do Itamaraty. De acordo com o Sinditamaraty, os servidores tentam, desde a posse de José Serra, em maio, uma audiência com o novo chanceler para conversar sobre as reivindicações. De acordo com a assessoria de imprensa do sindicato, até o momento, não houve retorno da pasta.

O Ministério das Relações Exteriores informou a Opera Mundi, na terça-feira (23/08), que a comissão de administração da pasta, criada para ser responsável pelas negociações, “está em contato permanente com o sindicato”.

No Brasil, os escritórios de representação do Itamaraty aderiram à greve nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e na região Nordeste.

Veja, a seguir, uma lista de cidades no exterior onde as representações diplomáticas brasileiras aderiram ao movimento, incluindo embaixadas, consulados, delegações e missões. Em alguns lugares, como Varsóvia, somente os oficiais de chancelaria interromperam a prestação de serviço.

Amã (Jordânia)
Argel (Argélia)
Atenas (Grécia)
Atlanta (EUA)
Assunção (Paraguai)
Barcelona (Espanha)
Belgrado (Sérvia)
Belmopan (Belize)
Berlim (Alemanha)
Berna (Suíça)
Boston (EUA)
Buenos Aires (Argentina)
Bucareste (Romênia)
Budapeste (Hungria)
Camberra (Austrália)
Cantão (China)
Caracas (Venezuela)
Castries (Santa Lúcia)
Chicago (EUA)
Ciudad Del Este (Paraguai)
Colombo (Sri Lanka)
Copenhague (Dinamarca)
Córdoba (Argentina)
Dili (Timor-Leste)
Estocolmo (Suécia)
Frankfurt (Alemanha)
Genebra (Suiça)
Hamamatsu (Japão)
Helsinque (Finlândia)
Hartford (EUA)
Huston (EUA)
Kuala Lumpur (Malásia)
Lima (Peru)
Lisboa (Portugal)
Liubliana (Eslovênia )
Londres (Inglaterra)
Los Angeles ( EUA)
Madri (Espanha)
Manila (Filipinas)
Milão (Itália)
Montevidéu (Uruguai)
Montreal (Canadá)
Moscou (Rússia)
Munique (Alemanha)
Nova York (EUA)
Cidade Do Panamá (Panamá)
Pequim (China)
Praga (República Checa)
Quito (Equador)
Salto Del Guayra (Paraguai)
Santa Cruz (Bolívia)
Santiago (Chile)
São Francisco (EUA)
Sidney (Austrália)
Tiblisi (Geórgia)
Tóquio (Japão)
Toronto (Canadá)
Vancouver (Canadá)
Varsóvia (Polônia)
Washington (EUA)
Xangai (China)

Foto de Capa: Divulgação/Sinditamaraty



No artigo

x