Alvo da Máfia da Merenda diz em grampo que Russomanno é “novo parceiro”

O candidato à Prefeitura de São Paulo foi citado durante uma conversa entre César Augusto Lopes Bertholino, o ‘Marrelo’, e Cássio Chebabi, quadros importantes do esquema, e investigados na Operação Alba Branca, da Polícia Civil. Por Redação...

3096 0

O candidato à Prefeitura de São Paulo foi citado durante uma conversa entre César Augusto Lopes Bertholino, o ‘Marrelo’, e Cássio Chebabi, quadros importantes do esquema, e investigados na Operação Alba Branca, da Polícia Civil.

Por Redação

O deputado federal e candidato à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno (PRB), é citado em um relatório da Polícia Civil no inquérito da Operação Alba Branca, que investiga o esquema de fraudes na merenda escolar conhecido como “Máfia da Merenda”.

Em um grampo telefônico interceptado pela Polícia, Russomanno é citado como um “novo parceiro” durante uma conversa entre César Augusto Lopes Bertholino, o ‘Marrelo’, e Cássio Chebabi, quadros importantes do esquema, e investigados na operação. No entanto, o deputado não é alvo da investigação e nem nem a ele é imputado ato ilícito. As informações foram dadas pelo blog do jornalista Fausto Macedo, do Estado de S.Paulo.

Em julho de 2015 Chebabi diz a “Marrelo” que o deputado é um “novo parceiro” e que ele “tá forte pra prefeitura”. Em resposta, Marrelo diz que eles vão “jantar” com Russommano e diz ainda que ele ‘vai dar duas secretarias’ para Leonel Júlio, ex-deputado e pai do lobista da quadrilha da merenda. ‘Já tá acordado’, diz Marrelo.

A Polícia diz que ‘fica claro que (Chebabi e ‘Marrelo’) esperam algum benefício com esta aproximação’.

‘[Os envolvidos no esquema] demonstram claramente acreditarem que o caminho mais fácil para a consecução de contratos com órgãos públicos é a aproximação com pessoas que detêm poder de mando nos órgãos públicos visados’, escreveram os investigadores.

Russomanno aparece no momento como favorito nas pesquisas de opinião para a prefeitura da cidade de São Paulo. Ele reagiu com indignação à citação a seu nome e disse que sequer conhece os dois alvos da Operação Alba Branca.

‘Marrelo’ escreveu às 17h54: ‘Tô indo lá pro Mané, vamos jantar com Celso Russomanno. Eu e o Marcel. Marcamos às 9 horas.
Chebabi respondeu às 18hs. “Novo parceiro.”
‘Marrelo’: Opaa. O Marcel já tinha conversado com ele. E falado da Coaf prá ele.
Chebabi: Tá forte prá prefeitura.
‘Marrelo’: Ele foi pedir apoio pro Leonel.
Chebabi: Ele é PR.
‘Marrelo’: PRB. Universal.
Chebabi: Cola
‘Marrelo’: Tá com dindim prá gastar. Vai dar duas secretarias pro Leonel. Se ele vier a ser prefeito de SP. Já tá acordado.



No artigo

x