Estudantes da Faculdade Cásper Líbero paralisam aulas contra reajuste de mensalidades

Na última terça-feira (30), universitários fizeram uma paralisação como forma de protesto contra o valor da mensalidade nos cursos de Comunicação, que pode chegar a R$ 2.200 em 2017 Por Matheus Moreira...

4618 0

Na última terça-feira (30), universitários fizeram uma paralisação como forma de protesto contra o valor da mensalidade nos cursos de Comunicação, que pode chegar a R$ 2.200 em 2017

Por Matheus Moreira

Estudantes dos quatro cursos de Comunicação oferecidos pela Faculdade Cásper Líbero, em São Paulo, paralisaram as aulas no último dia 30 contra o reajuste de mensalidades anual promovido pela instituição.

A paralisação durou três dias nos períodos da manhã e da noite. Para os universitários, o reajuste soa excessivo e corresponde a uma lógica de mercantilização de ensino que elitiza as faculdades.

Entre as críticas, a homogeneidade de estudantes brancos e de classe média evidenciaria o formato da comercialização da educação, que coloca o ensino superior como mercadoria e o estudante como cliente.

A principal reivindicação dos alunos de Relações Públicas, Jornalismo, Publicidade e Propaganda e Rádio, TV e Internet é o congelamento da mensalidade no valor cobrado para 2016, uma vez que nos anos anteriores as melhorias infraestruturais prometidas e utilizadas como justificativa para o aumento de quase R$ 200 por pessoa não foram entregues.

Durante o segundo dia de mobilização, o diretor da faculdade, Carlos Roberto da Costa, e o vice-diretor, Antonio Roberto Filho, participaram da assembleia dos estudantes no período da manhã e da noite e foram sabatinados.

Constrangidos pelas perguntas assertivas e pelas diversas reclamações dos jovens, Costa chegou a sugerir que os estudantes que não estivessem satisfeitos pedissem transferência para outras universidades.

Além do reajuste da mensalidade, alunos em fase avançada do curso, em especial os terceiranistas, pedem a cobrança do valor de forma proporcional às aulas ministradas. Até 2015, os universitários quartanistas pagavam um valor reduzido na mensalidade, pois tinham apenas três dias de aula por semana.

Ainda naquele ano, eles foram informados que a mensalidade para os 4º anos seria nivelada à das outras etapas, ainda que o curso mantivesse uma carga horária menor.

Nesta quinta-feira (1), os quase 400 alunos (do período diurno e noturno) optaram por encerrar a paralisação e focar os esforços na concepção da carta com demandas dos estudantes, que deverá ser entregue na próxima segunda-feira à direção da faculdade para encaminhamento ao superintendente da Fundação Cásper Líbero, Sérgio Felipe dos Santos.

Em 2013, os cursos de Jornalismo, Publicidade e Propaganda e Relações Públicas tinham mensalidade equivalente a R$ 1.418,57. Em 2014, os mesmos cursos possuíam o valor mensal de R$ 1.540,53.

No ano seguinte, após o reajuste, essa quantia subiu para R$ 1.708,46. Atualmente, a mensalidade dos três cursos citados é igual a R$ 1.947,64 e a expectativa dos estudantes é que o valor chegue próximo a R$ 2.200 em 2017.

Na página do Centro Acadêmico Vladimir Herzog é possível acompanhar na íntegra as assembleias que foram transmitidas ao vivo. Assista abaixo um vídeo-campanha publicado pelo CAVH.

Foto: Vitor Zocarato



No artigo

x