Decisão de manter direitos políticos de Dilma não serve para Cunha, diz Renan Calheiros

Presidente do Senado, Renan Calheiros, em entrevista para o colunista do UOL, Fernando Rodrigues, afirmou que não há base para que a decisão aplicada a Dilma seja usada em benefício de Cunha: "São coisas diferentes".

1269 0

Presidente do Senado, Renan Calheiros, em entrevista para o colunista do UOL, Fernando Rodrigues, afirmou que não há base para que a decisão aplicada a Dilma seja usada em benefício de Cunha: “São coisas diferentes”

Por Redação

O deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) terá a votação que decidirá o seu futuro na Câmara iniciada nesta segunda-feira (12), às 19h. Sobre o processo, especulou-se que a medida que permitiu que a presidenta eleita Dilma Rousseff não perdesse seus direitos políticos após o impeachment fosse utilizada para também manter os direitos de Cunha.

Entretanto, em entrevista para o colunista do UOL, Fernando Rodrigues, o presidente do Senado, Renan Calheiros, afirmou que não há base para que a decisão aplicada a Dilma seja usada em benefício de Cunha.

Calheiros criticou abertamente a fala do líder do governo na Câmara, André Moura (PSC-SE), que chegou a dizer que o Senado poderia aplicar a medida na votação sobre a cassação do mandato do político carioca, acusado de mentir à CPI da Petrobras sobre a existência de contas na Suíça em seu nome. “São coisas completamente diferentes”, afirmou.

A votação do processo de Eduardo Cunha acontecerá hoje à noite e a Casa deve optar pela cassação do mandato do parlamentar. Membros de partidos do Centrão – grupo articulado do governo no Senado – já sinalizam inclinação do voto para condenação do deputado afastado e ex-presidente da Câmara.

 Foto Lula Marques/Agência PT



No artigo

x