Documentário mostra empoderamento de mulheres com o Bolsa Família

O filme “Libertar – Relatos de Guaribanas do Bolsa Família” conta a história de 5 mulheres da cidade de  Guaribas, no Piauí, o primeiro município beneficiado pelo programa, em 2003. Pesquisas realizadas pelo Ministério do...

6404 0

O filme “Libertar – Relatos de Guaribanas do Bolsa Família” conta a história de 5 mulheres da cidade de  Guaribas, no Piauí, o primeiro município beneficiado pelo programa, em 2003. Pesquisas realizadas pelo Ministério do Desenvolvimento Social mostram que o repasse feito em nome da mulher garante maior autonomia, liberdade e poder de escolha dentro de seus lares. Assista

Por Victor Labaki

O filme “Libertar – Relatos de Guaribanas do Bolsa Família”, gravado por três estudantes de jornalismo da ESPM, conta a história de 5 mulheres da cidade de Guaribas, no Piauí, que relatam as transformações que o programa social Bolsa família trouxe para a realidade das suas famílias.

No início dos anos 2000, Guaribas apresentava um dos menores IDH’s do Brasil e foi a primeira cidade que foi beneficiada pelo programa de distribuição de renda em 2003.

“Eles têm muitas coisas que eu não tive. Na verdade… tudo.  Naquele tempo a gente não tinha nem roupa, nem comida para comer.  Hoje eles trabalham na roça e estudam. Naquele tempo era só trabalho, trabalho, trabalho… escravidão. Hoje eles tem uma roupa para usar, roupa boa, comida boa, calçado bom, perfume bom… eu não tive nada disso”, relata Francisca, uma das personagens do filme.

Catharina Obeid, uma das responsáveis pelo documentário, contou o que chamou sua atenção sobre a importância do programa na vida destas mulheres.

“O fator mais importante é o de dar dignidade para essas mulheres para eles poderem dar para os filhos delas as coisas que elas não tiveram”, contou.

Em 2013, as mulheres foram apontadas como responsáveis por 93% do total de titulares do cartão do programa. Pesquisas realizadas pelo Ministério do Desenvolvimento Social mostram que o repasse feito em nome da mulher garante maior autonomia e liberdade às mulheres, que passam a ter poder de escolha e independência econômica dentro de seus lares.

“Disso você pode ter certeza: uma mulher sabe mais a necessidade. Porque ela se preocupa mais com a alimentação, com os filhos, vestimenta, calçado, se for o caso (…) Homem não, se ele pegar e for cachaceiro ele já vai para o bar beber com o próprio dinheiro do Bolsa Família. Se for um jogador, como eu conheço muitos, já pega o dinheiro e vai apostar, vai jogar. Uma mulher nunca vai fazer isso. Uma mãe nunca vai deixar de dar um alimento para seu filho, é preferível ela não comer do que não dar ao filho. Um homem não pensa assim”, afirma Elionete, ex-beneficiária do programa e uma das entrevistadas do documentário.

O documentário está disponível na íntegra no Youtube.

 



No artigo

x