Brasil elegeu apenas 32 vereadoras negras em 2016

As eleições municipais de 2016 elegeram, nas 5.570 cidades brasileiras, apenas 32 mulheres negras como vereadoras, segundo INESC e TSE.

1721 0

“Política é branca, masculina e proprietária”, diz estudo

Por Matheus Moreira

As eleições municipais de 2016 surpreenderam desde que as primeiras candidaturas começaram a ser oficializadas. Com reviravoltas e o cenário político conturbado, o primeiro turno já passou e o ano apresenta poucos sinais de que vai acabar bem para a representatividade política de minorias.

A pesquisa feita pelo Instituto de Estudos Socioeconômicos, INESC, mostra que das 465.446 mil candidaturas em todo Brasil, apenas 14,2% eram de mulheres (156.317 mil) e que, dessa parcela, se elegeram apenas 0,3%, o que representa 638 prefeitas. Foram eleitas, ainda, 4,66% do total como vereadoras, chegando a 7.818 eleitas.

O recorte, infelizmente, não para por aí. Das mulheres prefeitas no Brasil, nenhuma é preta, e das 7.818 vereadoras, apenas 32 são negras nas capitais do país.

Ao todo, 9 capitais não elegeram nenhuma mulher preta ou parda como vereadora:

  • São Luís
  • Recife
  • Campo Grande
  • Cuiabá
  • Curitiba
  • Porto Alegre
  • Florianópolis
  • Aracaju
  • São Paulo

Observe a relação entre gênero e raça no resultado das eleições deste ano nas Câmaras Legislativas do Brasil no infográfico abaixo, de Luciana Guedes, responsável pelo tratamento de dados do TSE. Repare que apenas 1 homem indígena foi eleito vereador em todo o território:

 

 

Em suma, 62% dos prefeitos eleitos no primeiro turno são homens brancos, 24% homens pardos e 2% homens pretos, enquanto nenhum homem indígena foi eleito. Em se tratando das mulheres, a sub-representatividade é alarmante: 8% das prefeitas eleitas são brancas, enquanto 3% são pardas e nenhuma é preta ou indígena. Ainda estão disputando o segundo turno 7 mulheres pretas e 2 homens pretos. Veja abaixo, no infográfico de Luciana Guedes:

 

 

No Brasil, das 5.570 prefeituras, apenas 5 receberão em janeiro de 2017 um prefeito homem e indígena. São elas: Jacundá (PA), Lajedo (PE), Marechal Thaumaturgo (AC), Taracatu (PE) e São Gabriel da Cachoeira (AM). Confira abaixo a proporção:

 

 

Leia também

Mulheres negras não chegam a 1% do total de candidaturas para prefeito nas eleições de 2016

Foto: Arte de Vitor Teixeira

 



No artigo

x