Ao protestar contra PEC do teto, professor é agredido dentro da Câmara e passa mal

Carlos Guimarães foi estrangulado pela Polícia Legislativa depois de protestar contra a emenda que estabelece um teto para o gasto público e congela os investimentos por 20 anos. Assista o vídeo. Por Redação...

2835 0

Carlos Guimarães foi estrangulado pela Polícia Legislativa depois de protestar contra a emenda que estabelece um teto para o gasto público e congela os investimentos por 20 anos. Assista o vídeo.

Por Redação

O professor da rede pública municipal de São Paulo, Carlos Guimarães, que protestava contra a PEC 241, que estabelece um teto para o gasto público e congela os investimentos por 20 anos, foi agredido e retirado do plenário da Câmara dos Deputados, na noite da última quinta-feira (6), pela Polícia Legislativa, depois de ter sido estrangulado pelos policiais. Devido a violência usada ele desmaiou e precisou ser atendido por uma equipe médica.

O protesto do professor aconteceu quando os deputados disseram que a PEC 241 não iria afetar os repasses para a educação. Irritado, Carlos Guimarães gritou que “Nem papel para limpar a bunda na escola vai ter!”. A intervenção irritou o deputado Carlos Marun (PMDB-MS) e mandou a Polícia Legislativa retirar o professor. Carlos Marun ganhou holofotes ao defender com unhas e dentes o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB) e ter sido um dos únicos que votou contra a cassação do ex-presidente da Câmara.

Veja o vídeo do professor Carlos Guimarães sendo atendido:



No artigo

x