Após jantar de luxo, Temer exonera dois ministros para garantir vitória da PEC dos gastos públicos

No domingo, Temer promoveu jantar com base aliada na Alvorada para pressionar PEC241. Na segunda, exonerou 2 ministros para garantir vitória da proposta.

4901 0

No domingo, Temer serviu um banquete para a base aliada no Palácio da Alvorada para garantir votos favoráveis à PEC 241. Nesta segunda-feira (10), exonerou dois ministros para poderem votar como deputados e garantir vitória do teto dos gastos públicos

Por Matheus Moreira

Na noite deste domingo (9), o presidente empossado Michel Temer promoveu no Palácio da Alvorada um jantar para a base aliada do governo. O evento ocorreu às vesperas da votação da PEC (Proposta de Emenda a Constituição) 241, que propõe um teto para os gastos públicos e congela investimentos em educação e saúde pelos próximos 20 anos.

Durante o jantar, Temer discursou com tom autoritário. Ṕara o presidente, “qualquer movimento ou ação corporativa que possa tisnar a medida do teto de gastos públicos não pode ser admitida”. E não foi.  Hoje, segunda-feira (10), o presidente exonerou dois ministros: Fernando Coelho Filho, de Minas e Energia, e Bruno Araújo, das Cidades. Ambos são deputados e devem retornar aos seus cargos (como ministros) depois de votarem (como deputados exonerados) a favor da PEC241.

A manobra de Temer, associada a sensação de pressa que se tem diante da votação acelerada da PEC 241, mostra que o governo teme a rejeição do projeto que deve limitar os investimentos em educação e saúde. Além disso, faz crescer o sentimento de que há, por trás da pressa, receio de maior mobilização popular contra a proposta.

Ambos os ex-ministros estavam presentes no jantar, que contou, ainda, com a presença de Roberto Jefferson, ex-presidente do PTB e delator do mensalão, indiciado por fraude na empresa estatal Furnas Centrais Elétricas, em fevereiro deste ano.

A PEC 241 deve ser votade entre hoje (9) e amanhã, terça-feira (10).

 

Foto: Agência Brasil



No artigo

x